02:26 22 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Graduação de mulheres na Universidade de Moscou do Ministério de Assuntos Internos da Rússia

    As incríveis russas: o que a OSCE tem a dizer sobre a força das mulheres na Rússia

    © Sputnik/ Sergey Kuznecov
    Sociedade
    URL curta
    52597310

    Após uma visita de três dias a Moscou, a conselheira sênior para questões de gênero na Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), Miroslava Beham, elogiou as práticas da Rússia na promoção da igualdade de gêneros e convidou o país a apresentá-las aos 57 Estados-membros da organização.

    "Fiquei impressionada com os esforços da Federação Russa para incluir as mulheres na aplicação da lei e nas políticas de segurança", destacou Beham, citada em um comunicado publicado nesta quinta-feira (30) pela secretaria de imprensa da OSCE. 

    “Em reuniões com representantes dos Ministérios russos das Relações Exteriores, do Interior, da Saúde, da Educação e do Trabalho, bem como com o grupo político União de Mulheres da Rússia, Beham discutiu uma série de questões relacionadas à violência contra as mulheres, o empoderamento econômico e político das mulheres, seus direitos sociais e culturais e o papel fundamental que as mulheres podem e devem desempenhar na prevenção e na resolução de conflitos e na consolidação da paz [peacebuilding]”, relata o documento.

    A conselheira sênior disse ter ficado especialmente impressionada com a porcentagem de mulheres russas engajadas nos esforços contra o extremismo e o terrorismo. Segundo Beham, essa porcentagem “é maior do que na maioria das instituições comparáveis em outros países ou organizações internacionais”.

    “Eu encorajei as autoridades russas a compartilharem suas experiências neste aspecto com a OSCE e os Estados participantes de modo que eles possam se beneficiar delas”, disse a conselheira sênior, que, aliás, recentemente recebeu uma carta do embaixador dos EUA na OSCE, Daniel Baer, em que o representante norte-americano lhe agradeceu pessoalmente e em nome dos EUA por seu trabalho no combate à discriminação de gênero.

    Beham também manifestou apoio a um projeto de lei sobre violência doméstica que está em discussão na Rússia e ressaltou a importância de se avaliar o progresso dos direitos econômicos e sociais das mulheres em outros países. 

    De acordo com o comunicado da OSCE, a representante convidou as autoridades competentes de Moscou a irem a Viena a fim de apresentar suas “boas práticas” nessas áreas para as delegações de todos os 57 Estados participantes da instituição.

    A OSCE é uma organização de segurança global reconhecida pelas Nações Unidas que trabalha na gestão de crises, na prevenção de conflitos e em operações de manutenção e consolidação da paz em cenários pós-guerra. Além disso, a instituição também cobre uma ampla variedade de questões de direitos humanos. Segundo Beham, uma abordagem inclusiva de gênero a todos os assuntos de paz e segurança é indispensável para que a OSCE, com o seu conceito de “segurança abrangente”, consiga ser mais eficaz.

    Mais:

    Mulheres mais poderosas do mundo
    Levy fala às mulheres e defende mais empreendedorismo e menos impostos
    Mulheres na Guerra: a participação das enfermeiras brasileiras no front italiano
    As mulheres mais belas da Rússia
    As melhores estão no topo: mulheres líderes
    Tags:
    direitos humanos, peacekeeping, peacebuilding, extremismo, terrorismo, discriminação, violência doméstica, igualdade de gênero, russas, mulheres russas, mulheres, OSCE, Miroslava Beham, Moscou, Europa, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik