10:30 16 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Imigrantes haitianos em um abrigo no Acre

    Brasil vai aumentar número de vistos para imigrantes haitianos

    João Paulo Charleaux/Conectas
    Sociedade
    URL curta
    0 810

    Reunião interministerial que contou com a presença de representantes da Polícia Federal determinou diversas medidas em relação à situação dos imigrantes haitianos no Brasil.

    Cerimônia em memória de falecidos no Haiti
    © AFP 2018 / HECTOR RETAMAL
    Desde o terremoto que devastou o Haiti em 2010, os haitianos têm viajado durantes dias em condições precárias para buscar novas oportunidades de emprego no Brasil. Eles entram no país pelo Estado do Acre, que já está sem infraestrutura para receber os imigrantes, e daí seguem para outras regiões do Brasil, como o Estado de São Paulo, que também não teria mais condições de recebê-los.

    Por este e outros motivos, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, anunciou que o Brasil vai aumentar o número de vistos disponíveis aos haitianos, para que eles possam entrar no país de forma legal, sem precisar sofrer exploração e maus tratos por parte de organizações criminosas. Atualmente são fornecidos mais de 100 vistos por mês.

    “Nós não temos nenhum problema de que os haitianos venham para o Brasil de forma legal”, disse o ministro. “Por isso nós vamos ampliar a nossa emissão de vistos, para que eles entrem no Brasil legalmente, e para que através de outras medidas possamos combater com vigor e com rigor as organizações criminosas. O Itamaraty tomará nos próximos dias as medidas necessárias para ampliar os vistos de entrada das pessoas, e orientá-las de uma maneira segura, a não serem submetidas a organizações criminosas.”

    Além das medidas internas no âmbito da segurança pública, o Ministro Cardozo informou que vai visitar o Peru, o Equador e a Bolívia, com o objetivo de articular medidas conjuntas de combate às ações dos criminosos que atuam no tráfico humano. ”Nós intensificaremos nossos contatos com os governos do Peru, do Equador e da Bolívia. Irei nos próximos dias aos três países dialogar com os ministros e altas autoridades, para que possamos articular medidas em conjunto que evitem a ação lamentável dessas organizações criminosas, que ganham milhões de dólares à custa da exploração das pessoas.”

    Ainda segundo o ministro da Justiça, o Governo vai melhorar as políticas de acolhimento e encaminhamento de haitianos para outros Estados, a fim  de não mais sobrecarregar Acre e São Paulo. “Nós vamos melhorar a nossa coordenação justamente para situações que não são justas, de que o Estado do Acre não venha vivenciar sozinho. Na medida em que as organizações criminosas colocam a entrada desses haitianos pelo Estado do Acre e em péssimas condições de saúde, o Acre fica numa situação de vítima também por esse processo. Então nós temos que fazer com que a política de acolhimento do Brasil seja também feita de forma coordenada e harmônica entre os Estados brasileiros, que podem recepcioná-los, com devida assistência, buscando alternativas de emprego para esses haitianos.”

    Segundo o governador do Acre, Tião Viana, neste ano seu Estado já recebeu 6.146 imigrantes haitianos. Nos últimos 4 anos passaram pelo Acre mais de 38 mil imigrantes, e R$ 25 milhões de despesas estão sendo acumulados ao longo desse período para o Estado.

    Na terça-feira (19), após um acordo entre o Ministério da Justiça e os Governos de São Paulo e do Acre, foi suspenso o envio de haitianos para São Paulo, que era feito em ônibus fretados com recursos do Ministério.

    Tags:
    Ministério da Justiça do Brasil, Itamaraty, Tião Viana, José Eduardo Cardozo, Acre, Bolívia, Haiti, Peru, São Paulo, Equador, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik