13:10 04 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    15893
    Nos siga no

    Nesta quarta-feira (23), a Frota do Mar Negro, em conjunto com o Serviço de Fronteira do Serviço Federal de Segurança da Rússia, interrompeu uma violação da fronteira nacional russa por um destróier britânico a serviço.

    O Ministério da Defesa da Rússia publicou nesta quarta-feira (23) a operação que realizou contra a violação de sua fronteira marítima no mar Negro efetuada pelo destróier britânico Defender. O navio foi alertado com bombas.

    O ministério russo informou que o navio tinha sido avisado previamente sobre o uso de armas em caso de violação da fronteira nacional da Rússia, mas "não reagiu ao aviso".

    "As ações perigosas do destróier da Marinha Real do Reino Unido são avaliadas pelo Ministério da Defesa da Rússia como uma violação grave da Convenção da ONU sobre o Direito do Mar de 1982", disse o Ministério da Defesa da Rússia.

    A representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, qualificou o incidente como uma provocação.

    "O Ministério da Defesa de nosso país já avaliou as ações perigosas do destróier da Marinha Real do Reino Unido no mar Negro. Gostaria de acrescentar que as descrevemos como flagrante provocação do Reino Unido, o que contradiz lei internacional e as leis russas", disse a representante oficial do MRE russo em entrevista coletiva.

    A embaixadora do Reino Unido em Moscou, Deborah Bronnert, foi convocada à chancelaria russa por causa do incidente.

    Mais:

    Frota russa do Pacífico 'afunda' grupo de porta-aviões durante exercícios
    Putin: Rússia será sempre grata aos heróis que deram às gerações futuras 'vida e paz' (VÍDEO)
    'Observamos tendências positivas' na cooperação com Brasil, diz ministro da Defesa russo
    Rússia apela aos EUA e aliados para pararem manobras militares Sea Breeze no mar Negro
    Tags:
    destróier, Reino Unido, Rússia, mar Negro, Frota do Mar Negro, fronteira, fronteiras, fronteiras russas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar