04:57 26 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    Coronavírus no mundo em meados de agosto (58)
    2201
    Nos siga no

    O diretor do Centro Científico para Avaliação Especializada de Produtos Medicinais do Ministério da Saúde da Rússia, Vladimir Bondarev, revelou nesta quarta-feira (12) a faixa etária que já passou por testes exitosos da vacina russa.

    "Na Federação da Rússia é adotado certificar crianças – do nascimento aos 18 anos, maiores de idade e adultos de 18 a 60 anos e pessoas mais velhas – de mais de 60 anos. Estudos clínicos foram realizados em um grupo de voluntários de idades entre 18 e 60 anos. Portanto, a vacina é indicada para o uso em pessoas de 18 a 60 anos", Bondarev afirmou em coletiva de imprensa.

    O especialista também comentou que estudos clínicos adicionais são necessários para pessoas mais velhas, salientando que provavelmente serão feitos durante testes clínicos após o registro.

    Enquanto isso, Aleksandr Gintsburg, o diretor do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, que é uma das entidades criadoras da vacina, afirmou estar vacinado e se sentir bem, tendo em torno de 60 anos de idade.

    Nesta terça-feira (11), a Rússia anunciou o registro da primeira vacina para a COVID-19, chamada Sputnik V, que será produzida industrialmente. O presidente Vladimir Putin endossou a vacina, declarando que a mesma passou por todos os testes necessários.

    A vacina foi desenvolvida pelo Centro Gamaleya e o Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo). A solução possui dois componentes injetados separadamente, que devem criar imunidade sustentável contra o vírus.

    A vacina até o momento foi testada em 76 voluntários.

    De acordo com o ministro da Saúde russo Mikhail Murashko, "em qualquer caso a vacinação será voluntária [...] será oferecida a profissionais da saúde".

    Tema:
    Coronavírus no mundo em meados de agosto (58)

    Mais:

    México demonstra interesse em obter vacina russa Sputnik V e participar de testes
    COVID-19: Doria diz que SUS pode ter 15 milhões de doses da vacina chinesa até dezembro
    Vacina russa contra COVID-19: simples, como tudo o que é genial
    Tags:
    pesquisa, Rússia, pandemia, vacina, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar