11:38 31 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    180
    Nos siga no

    Prefeito de Moscou impõe quarentena a maiores de 65 anos e pacientes crônicos, fornece ajuda financeira e adverte os mais jovens: "Não fechamos as escolas para que eles passeiem pela cidade o dia todo".

    Nesta segunda-feira (23), o prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin, publicou um vídeo em seu blog, dirigido às "mães, pais, avós e avôs" acima de 65 anos, assim como a pacientes com doenças crônicas, apresentando as novas medidas adotadas para combate à COVID-19.

    Segundo o prefeito, "alguns podem não gostar" das medidas a serem adotadas, mas elas "são necessárias para proteger nossos idosos" e pessoas com "imunidade mais baixa".

    Sobyanin reiterou o pedido para que pessoas com mais de 65 anos fiquem em casa, assim como os pacientes com diabetes, asma, doenças crônicas nos rins, câncer, recentes vítimas de infarto ou AVC.

    Esses moscovitas devem obrigatoriamente trabalhar de casa, receberem férias remuneradas ou entrarem em licença médica

    As exceções são "os diretores ou funcionários essenciais, sem os quais as empresas, fábricas, instituições ou órgãos estatais não podem funcionar", assim como "os agentes de saúde, que devem permanecer em seus postos". Aqueles que necessitarem de atestado médico terão o documento entregue em casa.

    De forma a compensar os prejuízos materiais da quarentena, o governo municipal irá fornecer ajuda financeira aos idosos e pacientes crônicos, dividida em duas parcelas: a primeira a ser recebida no início da quarentena, e a segunda no final, "com a condição de cumprimento responsável" do autoisolamento.

    Família usando máscara protetora no Aeroporto Internacional Sheremetyevo, em Moscou
    © Sputnik / Vladimir Astapkovich
    Família usando máscara protetora no Aeroporto Internacional Sheremetyevo, em Moscou

    A prefeitura de Moscou também estabeleceu um serviço de entrega de mercadorias e remédios em casa, assim como um serviço de manutenção (encanadores, eletricistas) para os moradores do grupo de risco.

    O prefeito informou que as operadoras de telefonia e Internet não estão autorizadas a cortar o serviço a moscovitas maiores de 65 anos ou pacientes crônicos durante a imposição da quarentena. Essa medida garante o acesso dessas pessoas aos serviços municipais e ao direito de manter contato com familiares.

    O prefeito enviou, no entanto, uma mensagem dura aos mais jovens. Com muitas universidades e escolas operando no regime on-line, Sobyanin irá bloquear o cartão social de transporte dos estudantes moscovitas, para evitar que estes transitem pela cidade.

    "Nós fechamos as escolas para minimizar os contatos entre os alunos, e não para que eles passeiem pela cidade o dia todo", disse.

    Sobyanin lembrou que, mesmo sem apresentar sintomas, os mais jovens podem ser vetores de propagação do vírus. Por isso, pediu que deixem de visitar as pessoas mais velhas, limitando-se a "manter contato pelo telefone ou pela Internet".

    A Rússia confirmou, até essa segunda-feira (23), 438 casos de COVID-19, com um falecimento e 16 pacientes recuperados. A maioria dos casos está na capital, Moscou, a maior cidade da Rússia e da Europa.

    Mais:

    'Da Rússia com amor': Moscou ajuda Itália a combater COVID-19
    Exército dos EUA entra em Nova York para conter coronavírus (FOTOS)
    Coronavírus poderia perdurar na Europa por 2 anos, diz epidemiologista chinês
    Tags:
    COVID-19, Moscou, Rússia, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar