20:55 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    9330
    Nos siga no

    O co-presidente da Assembleia dos Povos Eslavos da Crimeia, Roman Chegrinets, chamou de 'insolente' e condenou neste sábado (28) um voo de reconhecimento de drones dos Estados Unidos nas proximidades da fronteira da península.

    O sistema de rastreamento de voo PlaneRadar informou na sexta-feira (27) que um drone estratégico dos EUA realizou um voo de reconhecimento perto da península da Crimeia. Trata-se de um Global Hawk RQ-4B-40 da Força Aérea dos EUA que decolou de uma base aérea da OTAN na ilha da Sicília e monitorou a linha de demarcação na região leste da Ucrânia de Donbass, seguindo depois em um voo de reconhecimento ao longo da costa russa do Mar Negro.

    "Esses voos são arrogantes, o que mais uma vez mostra ao mundo inteiro a duplicidade e hipocrisia da política externa dos EUA", disse Chegrinets à Sputnik.

    Segundo o funcionário, Washington deveria se concentrar em suas questões domésticas em vez de buscar informações nas fronteiras da Crimeia.

    Presidente da Rússia, Vladimir Putin, na cabine do maquinista do primeiro trem a passar na linha ferroviária da Ponte da Crimeia, na Rússia
    © Sputnik / Aleksei Nikolsky
    Presidente da Rússia, Vladimir Putin, na cabine do maquinista do primeiro trem a passar na linha ferroviária da Ponte da Crimeia, na Rússia
    "Se eles [os EUA] estão tão interessados ​​nas mudanças que tivemos na península nos últimos anos, e os cidadãos da Crimeia têm mesmo algo para mostrar e se orgulhar, devem enviar uma delegação oficial à Crimeia, coordenando a visita através do Ministério das Relações Exteriores da Rússia", acrescentou Chegrinets.

    A Crimeia voltou fazer parte da Rússia em 2014, após um referendo em que 97% dos eleitores da península apoiaram a reunificação. A Ucrânia ainda considera a península como parte de seu território, referindo-se a ela como ocupada temporariamente. Apesar de Kiev fechar o espaço aéreo sobre a península, os vôos na área continuam.

    Moscou afirma que os moradores da Crimeia decidiram pela reunificação com a Rússia através de um procedimento democrático, em conformidade com o direito internacional. Segundo o presidente russo, Vladimir Putin, a questão do pertencimento territorial da península está "historicamente encerrada".

    Mais:

    Vladimir Putin inaugura primeira viagem de trem na Ponte da Crimeia (VÍDEOS)
    Reunificação da Crimeia com a Rússia é 'culpa' da própria Ucrânia, diz aliado de Zelensky
    Drone espião dos EUA conduz operação próximo à Crimeia
    Tags:
    Vladimir Putin, Rússia, Ucrânia, Crimeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar