05:39 26 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Torres do Kremlin de Moscou

    Bomba aérea da 2ª Guerra Mundial é encontrada no Kremlin de Moscou

    © Sputnik / Natalya Selivyorstova
    Rússia
    URL curta
    4100

    Uma grande bomba da Segunda Guerra Mundial foi encontrada no Kremlin, desativada e levada para aniquilação, declarou o comandante do Kremlin, tenente-general Sergei Khlebnikov.

    A bomba aérea foi encontrada durante estabilização do solo no território do Kremlin. Trata-se de um dispositivo explosivo da época da Grande Guerra pela Pátria.

    "Hoje [15], durante reforma e construção, foi encontrada uma bomba aérea, que, pela aparência, é da época da Grande Guerra pela Pátria. Foram tomadas todas as medidas necessárias para garantir a segurança no Kremlin moscovita", detalhou o tenente-general.

    "Está tudo tranquilo no Kremlin. O explosivo foi retirado do Kremlin e será eliminado", afirmou Khlebnikov a repórteres.
    O tenente-general deu mais detalhes do local onde estava a bomba.

    "Na época czarista, lá havia um refrigerador natural, uma adega, onde eram guardados os produtos alimentícios", explicou o tenente-general, adicionando que quando uma parte do terreno foi retirada para impermeabilização, a bomba foi encontrada.

    'Herança' da Grande Guerra pela Pátria

    Grande Guerra pela Pátria é parte da Segunda Guerra Mundial compreendida entre 22 de junho de 1941 e 9 de maio de 1945 e limitada às hostilidades entre a União Soviética e a Alemanha nazista e seus aliados.

    Até hoje em dia, bombas, minas e mísseis não explodidos continuam sendo encontrados na Rússia. Por exemplo, em junho, uma mina de uma tonelada da Segunda Guerra Mundial foi encontrada na costa oriental da Crimeia.

    Mais:

    Novo documentário revela como a URSS venceu Hitler na Segunda Guerra Mundial (VÍDEO)
    Encontrados destroços do 1º navio que Japão perdeu na Segunda Guerra Mundial (FOTOS)
    Em homenagem aos heróis da Segunda Guerra Mundial
    Tags:
    desativação, bomba, Kremlin, Moscou
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar