23:47 11 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Soldado russo frente ao míssil Iskander-M de curto alcance durante um exercício envolvendo unidades de mísseis e artilharia

    Putin assina lei de suspensão do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário

    © Sputnik / Sergey Orlov
    Rússia
    URL curta
    7382
    Nos siga no

    O presidente russo, Vladimir Putin, assinou a lei de suspensão do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF). O documento foi publicado nesta quarta-feira (3) no portal oficial de informação jurídica.

    A decisão foi tomada depois que o vice-ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Ryabkov, sinalizou a disponibilidade de Moscou de tomar quaisquer medidas que poderiam ser tomadas pela OTAN com a suspensão do cumprimento russo com o Tratado INF.

    "Suspender o Tratado INF entre a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas e os Estados Unidos da América sobre a eliminação de seus mísseis de médio e curto alcance, assinado em Washington em 8 de dezembro de 1987", cita o documento.

    Durante Fórum Internacional do Desenvolvimento do Parlamentarismo, Putin enfatizou que a persistente relutância de determinados países em aceitar a multipolaridade do mundo resulta em tensões crescentes e mina a estabilidade estratégica.

    Destruição de míssil SS-23, o 957º e o último míssil soviético de curto alcance a ser destruído no âmbito do Tratado INF com os EUA
    © AP Photo /
    Destruição de míssil SS-23, o 957º e o último míssil soviético de curto alcance a ser destruído no âmbito do Tratado INF com os EUA

    Ele também adicionou que, dada a difícil e controversa agenda global, em meio às ameaças múltiplas mundiais, a comunidade global precisa de cooperação, liberdade de expressão, confiança e entendimento mútuo. Além disso, ele observou que é impossível cooperar com os desafios existentes, caso os países não coordenem as responsabilidades através de discussões.

    "Essa transformação [do mundo] para a multipolaridade é óbvia. Enquanto isso, a relutância de uma série de Estados em aceitar essa nova realidade resulta no aumento de conflitos globais, na desconsideração do direito internacional e no enfraquecimento da estabilidade estratégica. Tudo isso impede a cooperação", destacou Putin.

    Segundo o vice-chanceler, a Rússia responderia com ações militares se sua segurança for comprometida, aplicando uma abordagem seletiva ao diálogo com a Aliança Atlântica.

    "Nós vamos estudar as decisões que os países-membros da OTAN formularão nos próximos meses. Nós estamos prontos para qualquer opção. Os EUA e seus aliados da OTAN são certamente responsáveis por uma possível complicação da situação político-militar na região europeia do Atlântico, já que seguem uma política de destruição do INF", afirmou Ryabkov a repórteres.

    Sistemas de mísseis terra-ar S-300 Favorit do Distrito Militar do Sul durante exercícios militares com o 4º Exército Aéreo e de Defesa Antiaérea no polígono de Ashuluk, na região de Astrakhan.
    © Sputnik / Sergei Pivovarov
    Sistemas de mísseis terra-ar S-300 Favorit do Distrito Militar do Sul durante exercícios militares com o 4º Exército Aéreo e de Defesa Antiaérea no polígono de Ashuluk, na região de Astrakhan.

    Suspensão dos EUA

    Os EUA suspenderam formalmente suas obrigações ligadas ao Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF) no dia 2 de fevereiro, alegando que a Rússia teria violado o tratado e impulsionando um processo de saída de seis meses.

    A Rússia, por sua vez, negou as acusações, afirmando que Washington violou o acordo.

    Mais:

    Pentágono vai testar míssil de cruzeiro lançado do solo proibido pelo Tratado INF
    Primeiro-ministro russo lamenta saída dos EUA do Tratado INF
    Nova corrida armamentista à vista? Como ruptura do Tratado INF poderia afetar paz global
    Tags:
    Vladimir Putin, tratado
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar