00:16 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente russo, Vladimir Putin, durante a coletiva de imprensa anual, 20 de dezembro de 2018Coletiva de imprensa anual de Vladimir Putin, 20 de dezembro de 2018Presidente russo, Vladimir Putin, durante a coletiva de imprensa anual, 20 de dezembro de 2018

    Vladimir Putin responde a jornalistas em coletiva de imprensa anual

    © Sputnik / Aleksei Kudenko © Sputnik / Mikhail Klementiev © Sputnik / Natalia Seliverstova
    1 / 3
    Rússia
    URL curta
    16270
    Nos siga no

    Hoje, 20 de dezembro, Vladimir Putin realizou a tradicional coletiva de imprensa do fim do ano em que respondeu a perguntas de jornalistas. O evento começou às 7h no horário de Brasília (12h no horário local) e durou quase quatro horas. A Sputnik apreesenta cobertura on-line do evento.

     

    Esta foi a 14ª coletiva de imprensa de Vladimir Putin. Presidente russo respondeu a 66 perguntas durante quase quatro horas. No ano passado o presidente russo respondeu durante 3 horas e 40 minutos a perguntas dos jornalistas.

    Ordenar as mensagens
    • 10:53

      Putin encerra a coletiva de imprensa

      Presidente russo parabeniza todos por ocasião das futuras festas de Ano Novo e anuncia o fim do evento.

      Coletiva de imprensa anual de Vladimir Putin, 20 de dezembro de 2018
      © Sputnik / Ilia Pitalev
    • 10:44

      Rússia militariza a Crimeia demais?

      A ONU aprovou uma resolução sobre a militarização do mar de Azov e da Crimeia. Então por que a Rússia faz isso? Putin diz que o povo da Crimeia decidiu em 2014 se reunir com a Rússia, o que tornou a Crimeia em território russo, então a Rússia tem o direito de conduzir sua política militar em qualquer parte do seu território como decidir e de acordo com suas necessidades de defesa.

      Além da infraestrutura militar, a Rússia também está desenvolvendo a infraestrutura civil na Crimeia.

      Caça-minas Kovrovets (à esquerda) e Ivan Golubets durante o Dia da Marinha da Rússia em Sevastopol, Crimeia
      © Sputnik / Aleksei Malgavko

      A componente militar na Crimeia será reforçada tanto quanto for necessário. Comentando o incidente no estreito de Kerch, Putin diz que isso foi uma provocação, mas que os caminhos marítimos continuam funcionando em regime normal. Além disso, a Rússia está disposta a cumprir os acordos assinados.

      A Rússia não impede a passagem dos navios, inclusive militares, pelo estreito de Kerch, mas tudo deve ser feito de acordo com a lei.

      Navios ucranianos atravessando ilegitimamente a fronteira com a Rússia

      Violação da fronteira russa por navios ucranianos

      Mostrar mais
    • 10:35

      Qual foi o principal evento do ano 2018?

      Jovem em traje tradicional saindo da cabina de voto durante as eleições presidenciais da Rússia 2018, na cidade de Sochi
      © Sputnik / Nina Zotina

      Segundo o líder russo, eles foram dois: primeiro – as eleições presidenciais russas, e outro foi a Copa do Mundo 2018, que foi sediada pela Rússia em junho e julho deste ano.

      Torcedora da Seleção Colombiana tira selfie antes da partida entre Colômbia e Inglaterra nas oitavas de final da Copa do Mundo 2018
      © Sputnik / Grigory Sysoyev
    • 10:24

      Coletiva de imprensa dura há mais de 3 horas

      Jornalistas durante coletiva de imprensa anual de Vladimir Putin, 20 de dezembro de 2018
      © Sputnik / Yevgeny Biyatov

      Vladimir Putin está falando com jornalistas já há mais de 3 horas. No ano passado a coletiva de imprensa anual durou 3 horas e 40 minutos.

    • 10:06

      Você quer governar o mundo?

      Coletiva de imprensa anual de Vladimir Putin, 20 de dezembro de 2018
      © Sputnik / Ilia Pitalev

      A pergunta foi feita pela jornalista da edição The Wall Street Journal. A jornalista diz que muitas pessoas no Ocidente acreditam que a Rússia é uma ameaça e até que Putin quer governar o mundo. Comentando estas acusações, Putin diz que todos sabem onde fica o centro de quem tenta governar o mundo e que ele não fica em Moscou.

      "Quanto a dominar o mundo, a gente sabe onde fica o centro que o tenta fazer, e ele não fica em Moscou", indicou.

      Putin lembra que o orçamento militar dos EUA é de mais de 700 bilhões de dólares, enquanto o russo é de 46 bilhões, o que significa que a declaração de que a Rússia, e Putin em particular, querem dominar o mundo é um cliché. Os países da OTAN precisam de um inimigo externo para continuarem unidos. O maior objetivo da política externa russa é garantir condições benéficas para o desenvolvimento da Rússia e para sua prosperidade.

    • 10:00

      Desdolarização da economia russa e papel do rublo

      Presidente russo lembrou que, segundo o Fundo Monetário Internacional, o comércio em dólares diminuiu, mas a Rússia não pretende desistir do dólar.

      Falando do papel da moeda russa, o rublo, seu papel no comércio internacional está aumentando, em primeiro lugar no que diz respeito aos países da União Econômica Eurasiática.

      Para que o rublo continue reforçando suas posições, a volatilidade tem que ser reduzida e este trabalho está sendo realizado com sucesso pelo Banco Central e pelo governo russo.

      Nota e moeda de um dólar americano

      Fim dos tempos para EUA? Especialistas evidenciam as causas da queda do dólar

      Rumores sobre a queda em 30% do dólar se espalharam pelo mundo, podendo ter surgido através das recentes declarações do presidente da Reserva Federal (Fed) dos EUA, Jerome Powell, sobre possíveis políticas monetárias para o ano que vem, assim como dívida e inflação do país.
      Mostrar mais
    • 09:56

      Jornalista turco se dirige a Putin

      Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, e seu homólogo russo, Vladimir Putin, durante a cerimônia oficial de boas-vindas no âmbito da visita do presidente russo a Ancara, em 3 de abril
      © Sputnik / Sergei Guneev

      Jornalista pergunta como Putin avalia as relações russo-turcas. De acordo com presidente russo, hoje em dia as relações entre Moscou e Ancara estão se desenvolvendo bem e os laços continuam se reforçando, há divergências entre as partes, mas elas estão prontas para compromissos.

    • 09:37

      Empresas militares privadas russas

      Respondendo à pergunta sobre alegadas empresas militares privadas, por exemplo, o grupo Wagner, Putin diz que tudo deve estar dentro da lei. Se este grupo Wagner viola algo, a Procuradoria vai tomar medidas. Comentando as informações de que estes grupos atuam no estrangeiro, o presidente russo acredita que se eles não violam as leis russas, eles podem defender seus interesses de negócios em qualquer parte do mundo.

    • 09:18

      Como Vladimir Putin avalia as relações da Rússia com Reino Unido?

      "As relações russo-britânicas estão em um beco sem saída, disse Putin, mas é do interesse de ambos os países sair desse beco", disse Putin respondendo à pergunta sobre sua avaliação das relações entre Moscou e Londres. Segundo Putin, Moscou tem interesse em restaurar as relações no seu formato completo. 

      Quanto ao Brexit, o líder russo frisou que o processo terá impacto nas relações do Reino Unido com a União Europeia e inclusive com a Rússia.

      Torre do Big Ben

      UE desenvolve medidas temporárias para caso de um Brexit sem acordo

      A Comissão Europeia apresentou medidas de prazo limitado para manutenção das conexões aéreas entre União Europeia e Grã-Bretanha, em caso de um Brexit sem acordo, informou o órgão.
      Mostrar mais
    • 09:09

      Líder russo comenta protestos de 'coletes amarelos' na França

      O que está acontecendo na França tem algo a ver com o aumento de preços, mas, segundo Putin, o aumento de preço dos combustíveis despoletou protestos que mostram a decepção com a situação em geral. No entanto, Vladimir Putin disse que não é correto avaliar as ações das autoridades franceses. Na França, as autoridades decidiram conscientemente aumentar os preços de combustíveis para direcionar o dinheiro ao desenvolvimento das fontes de energia alternativas, mas as pessoas não gostaram disso.

      O que diferencia a Rússia da França na questão dos preços de combustíveis?

      Na Rússia os preços da gasolina subiram devido ao aumento dos preços internacionais, o governo combate essa subida, disse o presidente. Essa é a diferença entre nós e a França, onde o preço sobe propositadamente.

      Manifestantes constroem uma barricada durante um protesto dos Coletes Amarelos (Gilets jaunes) contra o aumento dos preços do petróleo e os custos de vida.
      © AFP 2019 / Abdulmonam Eassa
    • 09:02

      Questão afegã

      Um jornalista afegão faz a pergunta a Vladimir Putin. Jornalista perguntou como a Rússia vê as perspectivas do assim chamado "formato de Moscou" sobre as negociações relacionadas aos assuntos do Afeganistão. Putin destacou que a maioria dos afegãos está de acordo que a situação no país está longe de ser boa. No que diz respeito às negociações dos EUA com representantes do Talibã, há que entender se existe tema para negociações, mas que estes têm que ser abertos.

      Segundo o líder russo, Moscou acredita que é possível conseguir uma regulação por meio de acordos entre todas as partes do processo político no Afeganistão. E para isso a Rússia precisará reforçar sua base militar no Tajiquistão, frisou presidente.

    • 09:00

      Putin faz piada sobre futuro casamento

      "Como pessoa decente, um dia terei de fazê-lo [me casar]", respondeu Putin a uma pergunta espontânea.

    • 08:58

      Agora o fenômeno das sanções contra Crimeia

      Presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante inspeção do território de um complexo hoteleiro na cidade de Yalta, Crimeia (Rússia)
      © Sputnik / Aleksei Druzhinin

      Como as restrições contra a Rússia influenciam os habitantes da Crimeia que escolheram se reunir com a Rússia? Putin diz que os parceiros ocidentais falam de anexação, se querem dizer que foi uma ação de força por parte da Rússia, então os habitantes da Crimeia não têm nada a ver com isso. Mas há sanções contra todos os habitantes da Crimeia. Por quê, se são inocentes? Mas se as sanções foram introduzidas por causa do referendo, então neste caso é preciso reconhecer o referendo.

    • 08:43

      Retirada das tropas dos EUA da Síria e o papel dos EUA na derrota do Daesh

      Forças dos EUA na Síria (foto de arquivo)

      Casa Branca declara que EUA iniciaram retirada de suas tropas da Síria

      Na quarta-feira (19), a secretária de imprensa da Casa Branca, Sarah Sanders, declarou que os EUA estão se preparando para retirar todas as suas forças da Síria.
      Mostrar mais

      A pergunta é da jornalista do jornal Chicago Tribune. Putin concorda com Trump sobre a derrota do Daesh, diz que os terroristas na Síria sofreram um duro golpe. Porém, existe a ameaça de penetração dos grupos terroristas nos países vizinhos, o que pode ameaçar até a Rússia.

      Comentando a retirada das tropas norte-americanas da Síria, anunciada por Donald Trump em 19 de dezembro, o presidente russo diz que não entende o que isto significa, já que os EUA anunciam retirada das tropas do Afeganistão a cada ano, mas as tropas permanecem já há 17 anos. Além disso, a Rússia não vê indícios dessa retirada.

      Putin acredita que a presença das tropas dos EUA na Síria é ilegítima e não é necessária, então se os EUA tomaram a decisão de retirar as tropas – essa é uma decisão correta.

      Aliás, apesar das divergências entre Moscou e Washington, há uma boa coordenação em todos os níveis quanto a questões importantes do combate contra o terrorismo.

    • 08:33

      Relações com a China

      Putin diz que a Rússia e a China se aproximaram do patamar de 100 bilhões de dólares no comércio bilateral anual e que isto já é um êxito. No entanto, Moscou e Pequim seguem em frente, as partes cooperam de modo ativo no palco internacional. Isso é um fator de estabilidade e da situação no mundo, acrescentou o presidente russo.

      Bandeiras da Rússia e China durante a reunião de Vladimir Putin e Xi Jinping
      © AFP 2019 / How Hwee Young
    • 08:20

      Razão de haver sanções antirrussas

      Rublos e yuans

      Sanções aplicadas à Rússia acarretam consequência imprevisível, diz ex-líder francês

      As sanções impostas à Rússia causaram "um efeito inesperado", fazendo com que Moscou se distancie da Europa e se aproxime de Pequim, afirmou o ex-presidente francês Nicolas Sarkozy à edição Point.
      Mostrar mais

      A Rússia, durante uma parte significativa da sua história, viveu sob restrições e sanções. Isso está ligado ao aumento do poder e da capacidade concorrencial russos. Os outros não querem tomar a Rússia em consideração, mas têm que o fazeк, frisou presidente russo. 

      Comentando as medidas russas de retaliação contra as sanções ocidentais, Putin diz que as autoridades da Rússia defendem os interesses do povo russo e o fazem com cuidado, não o fazem arbitrariamente.

    • 08:17

      Agora a pergunta é feita por parte do RT

      Coletiva de imprensa anual de Vladimir Putin, 20 de dezembro de 2018
      © Sputnik / Aleksei Kudenko

      O jornalista diz que nós neste momento reparamos que há a prisão de pessoas para usá-las como moeda de troca - Maria Butina nos EUA, Kirill Vishinsky na Ucrânia, etc. Será que a Rússia pode adotar esta prática? Putin diz que o destino dos cidadãos russos presos em países terceiros interessa a Rússia. A Rússia vai acompanhar os casos e tomar as medidas necessárias. Porém, a Rússia não pretende prender pessoas estrangeiras inocentes para trocá-los por cidadãos russos.

      Comparando o caso de Skripal e Khashoggi, Putin diz que a Rússia enfrenta sanções por causa do caso Skripal, que felizmente está vivo, enquanto no caso de Khashoggi não há nada. Isto mostra que isso é só um pretexto para conter a Rússia com uma abordagem política russófoba.

      Gina Haspel

      CIA apresenta nesta terça-feira resultados das investigações sobre morte de Khashoggi

      A diretora da Agência Central de Inteligência dos EUA (CIA), Gina Haspel, informará os líderes do Senado em 4 de dezembro sobre a morte do jornalista saudita Jamal Khashoggi, informou a imprensa local.
      Mostrar mais
    • 08:03

      Jornalista japonês faz pergunta sobre ilhas Curilas e o novo tratado de paz entre o Japão e Rússia

      Vista da ilha de Matua, nas Ilhas Curilas
      © Sputnik / Roman Denisov

      Os assuntos de segurança são importantes na hora de fazer o acordo de paz entre a Rússia e o Japão, responde Putin. Ele prossegue comentando presença dos sistemas antimísseis americanos no Japão. Líder russo assegurou que a Rússia está interessada na regulação das relações com o Japão e espera assinar o acordo de paz. No entanto, a Rússia está preocupada com a implementação dos sistemas de defesa antimíssil dos EUA no Japão.

    • 07:49

      A outra pergunta é sobre Donbass

      Pergunta sobre Donbass foi feita por um jornalista ucraniano. Ele acusou Putin, como comandante supremo da Rússia, de sofrimento de civis em Donbass. Putin, porém, diz que a Ucrânia os considera como seus cidadãos, mas estabeleceu um bloqueio total e atira contra eles. Tentativas de resolver questões políticas em Donbass com uso da força estão destinadas ao fracasso.

      O interesse da Rússia é a paz e prosperidade em todo o mundo, inclusive em Donbass, resumiu Putin. Além disso, o comércio bilateral cresce, apesar das tentativas de Kiev de impedir este processo, destacou.

      Militares ucranianos em veículos blindados

      Moscou adverte que Kiev está preparando ofensiva militar na linha de contato em Donbass

      De acordo com Maria Zakharova, representante oficial do Ministério das Relações Exteriores russo, a Ucrânia está preparando ofensiva contra milícias na zona de Mariupol, no sul da província de Donetsk, e poderia aproveitá-la para prolongar a lei marcial e cancelar as eleições presidenciais no país.
      Mostrar mais
    • 07:43

      Presidente russo comenta incidente no estreito de Kerch

      Navios ucranianos atravessando ilegitimamente a fronteira com a Rússia

      Violação da fronteira russa por navios ucranianos

      Mostrar mais

      Putin, comentando o incidente no estreito de Kerch, acredita que os parceiros ucranianos precisam de tais provocações para a campanha eleitoral, mas no longo prazo isso é contra o povo ucraniano e o país. Para o presidente russo, Poroshenko aumentou o seu rating eleitoral prejudicando os interesses do país, isso é um meio ruim. As autoridades ucranianas enviaram os seus militares esperando que estes morressem, mas graças a Deus isto não aconteceu, destacou líder russo.

    • 07:40

      'Rússia sabe como garantir sua segurança', assegura Putin

      Jornalista do Canal Pervy diz que durante a infância soviética as pessoas tinham medo da guerra nuclear. Agora a mídia até simula cenários de um conflito nuclear entre a Rússia e os EUA. Putin diz que é verdade, esse problema existe. No mundo cresce a tendência de se subestimar a ameaça de uma guerra nuclear. Porém, a Rússia só quer manter o balanço e a sua segurança no meio da saída dos EUA de tratados sobre armas nucleares.

      A Rússia teve que reagir com a criação de novas armas e ganhou vantagem, mas em geral isso é só uma garantia de paridade. A diminuição do limite de controle dessas armas pode resultar em catástrofe nuclear.

      Submarino nuclear da classe Borei Aleksandr Nevsky (foto do arquivo)

      Portal americano simula ataque nuclear de submarino russo aos EUA

      Um portal americano simulou as consequências de um ataque nuclear de um submarino estratégico russo do tipo Borei com mísseis portadores de ogivas nucleares contra EUA, concluindo que um só submarino seria suficiente para causar danos irreparáveis ao Exército e à Marinha americanos.
      Mostrar mais
    • 07:33

      Jornalistas continuam fazendo perguntas sobre assuntos internos

      Coletiva de imprensa anual de Vladimir Putin, 20 de dezembro de 2018
      © Sputnik / Ilia Pitalev
    • 07:27

      Rússia deve entrar em outra liga econômica, diz Putin

      Uma das primeiras perguntas foi relacionada aos assuntos econômicos. Putin diz que a Rússia deve entrar em outra liga econômica em termos de qualidade e a meta de se tornar a quinta maior economia do mundo (em termos d PIB) é realizável.

      Moeda de rublo em frente ao Kremlin, em Moscou

      Imprensa alemã destaca crescimento 'paradoxal' da economia russa

      Apesar do endurecimento das sanções ocidentais, os índices econômicos russos surpreenderam com uma dinâmica positiva, escreveu a edição alemã Welt.
      Mostrar mais
    • 07:15

      Vladimir Putin dá a palavra aos jornalistas

    • 07:10

      Vladimir Putin aparece na sala

      Coletiva de imprensa anual de Vladimir Putin, 20 de dezembro de 2018
      © Sputnik / Aleksei Kudenko

      Presidente russo começa a coletiva comentando os resultados do ano de 2018 para a Rússia.Ele estima que o PIB crescerá em 1,8 por cento neste ano.

    • 07:09

      Porta-voz do presidente russo anuncia chegada de Putin

      Presidente russo, Vladimir Putin, durante a coletiva de imprensa anual, 20 de dezembro de 2018
      © Sputnik / Ilia Pitalev
    • 06:57

      Todos prestes a começar

      Jornalistas antes do início da coletiva de imprensa do presidente russo Vladimir Putin, 20 de dezembro de 2018
      © Sputnik / Aleksei Kudenko

      Daqui a pouco Vladimir Putin começa a coletiva de imprensa anual. Foram acreditados mais de 1.000 jornalistas.

    Mais:

    Coletiva de imprensa com Vladimir Putin será realizada em 20 de dezembro
    Coletiva de imprensa anual de Vladimir Putin
    Tags:
    coletiva de imprensa, Vladimir Putin, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar