11:59 13 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente ucraniano, Pyotr Poroshenko, na Conferência de Segurança em Munique, Alemanha, 17 de fevereiro de 2017

    Ucrânia está à beira da guerra com a Rússia, diz Poroshenko

    © AP Photo / Matthias Balk
    Rússia
    URL curta
    Violação da fronteira russa por navios ucranianos (53)
    9213

    Na terça-feira (27), o presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, afirmou que seu país está à beira da guerra contra a Rússia em decorrência do incidente no Estreito de Kerch.

    "Eu não quero que ninguém pense que é pouca coisa. O país está sob a ameaça de uma guerra em grande escala com a Federação da Rússia", disse Poroshenko em entrevista aos canais de televisão ucranianos na terça-feira (27).

    Ele também apresentou imagens de satélite que supostamente mostram uma base militar russa, localizada a 18 quilômetros da fronteira com a Ucrânia. As imagens teriam sido obtidas em setembro e outubro.

    "Como você pode ver, o número de tanques nas bases localizadas ao longo de nossa fronteira triplicou. Por que eles foram realocados lá? O número de unidades recololadas ao longo de toda a extensão de nossa fronteira aumentou de forma drástica. A posição sobre possíveis exercícios não justificar este aumento de maneira alguma", disse Poroshenko durante a entrevista.

    Ele ainda apontou que os tanques não teriam sido retirados da base depois o incidente no Estreito de Kerch.

    "Após o incidente no Mar de Azov, era esperado que fornecessemos às Forças Armadas ucranianas a capacidade de resistência em caso de uma invasão terrestre em larga escala", disse Poroshenko.

    Provocação ucraniana e tensão regional

    Na segunda-feira (26), a Suprema Rada, como é chamado parlamento ucraniano, aprovou um decreto de Poroshenko propondo a introdução da lei marcial em algumas regiões do país ao longo da fronteira com a Rússia e ao longo da costa do Mar Negro e Mar de Azov. O decreto terá validade por 30 dias.

    A medida veio em razão de um incidente ocorrido no domingo (25), quando três navios ucranianos — os canhoneiros Berdyansk e Nikopol e o rebocador Yany Kapu — cruzaram a fronteira marítima russa de forma ilegal.

    Segundo o Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB), os navios partiram em direção ao Estreito de Kerch, uma entrada para o Mar de Azov, onde os navios foram detidos pela Rússia devido à falta de resposta a uma exigência legal para que parassem.

    O Ministério das Relações Exteriores da Rússia descreveu as ações dos navios ucranianos como uma provocação cometida em violação da lei internacional.

    Tema:
    Violação da fronteira russa por navios ucranianos (53)

    Mais:

    Moscou abre investigações sobre ataques a missões diplomáticas russas na Ucrânia
    Análise: ao impor lei marcial na Ucrânia, Poroshenko arrisca dividir o país
    EUA pedem que Putin e Poroshenko resolvam diretamente tensões entre Rússia e Ucrânia
    Introdução da lei marcial na Ucrânia não faz sentido, afirma especialista militar russo
    Tags:
    tensão na Ucrânia, Serviço Federal de Segurança (FSB), Pyotr Poroshenko, Mar Negro, mar de Azov, Rússia, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik