02:41 17 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente russo, Vladimir Putin, durante Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo

    Europa deve abandonar 'fobia' contra a Síria para evitar nova onda migratória, diz Putin

    © Sputnik / Sergei Guneev
    Rússia
    URL curta
    5120

    A União Europeia (UE) deve abandonar suas fobias a respeito de ajudar a Síria, devastada pela guerra, se não quiser um novo fluxo migratório, avaliou o presidente russo Vladimir Putin.

    "Se a comunidade mundial, e principalmente a Europa, não quiser um novo influxo de migrantes, deveria pensar, livrar-se de algumas fobias e apenas ajudar o povo sírio, independentemente do preconceito político", disse Putin em entrevista coletiva durante a sua visita à Singapura.

    Putin afirmou repetidamente que a UE deveria abordar cuidadosamente as questões de imigração e rever suas políticas que encorajaram a migração.

    Em declarações anteriores, Putin declarou que há milhões de migrantes na Jordânia, no Líbano e na Turquia, que são "potencialmente um fardo enorme" para a Europa. É por isso que a comunidade internacional deveria fazer de tudo para levar essas pessoas de volta para casa.

    A UE ainda é assombrada pela pior crise de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial, que atingiu o continente em 2015. A maioria dos requerentes de asilo vem de países afetados por conflitos, incluindo a Síria.

    Em 2017, mais de 3 milhões de autorizações de residência foram emitidas, de acordo com um recente relatório do Eurostat. Mais de 223.000 dessas licenças foram concedidas aos sírios.

    "As principais rotas de migração para a Europa via Mediterrâneo e Bálcãs seguem o padrão de guerras que os EUA e seus aliados da OTAN travaram, aberta e veladamente, no Afeganistão, Iraque, Síria e Líbia, entre outros países", comentou Finian Cunningham, escritor que cobriu extensivamente os assuntos internacionais.

    Cunningham acredita que a abertura dessas rotas "atrai migrantes" de muitos outros países da Ásia, Oriente Médio e África.

    Mais:

    Eslovênia fornece armas de fogo à polícia de fronteira para conter fluxo de migrantes
    Migrantes ilegais na Europa 'precisam ir para casa', afirma premiê tcheco
    Premiê da Polônia elogia a decisão da UE em abandonar realocação forçada de migrantes
    Tags:
    diplomacia, migrantes, imigração, crise de imigrantes, União Europeia, Finian Cunningham, Vladimir Putin, Síria, Europa, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik