08:56 21 Julho 2018
Ouvir Rádio
    O avião Rossiya Ilyushin Il-96-300 que partiu do Aeroporto Internacional de Dulles, perto de Washington, DC, levando os diplomatas russos expulsos dos EUA

    Aviões transportando diplomatas russos expulsos decolam de Washington

    © Screenshot/@SweeneyABC
    Rússia
    URL curta
    960

    Duas aeronaves transportando diplomatas russos expulsos e suas famílias decolaram do Aeroporto de Dulles e agora estão indo em direção a Moscou. No total, 171 pessoas deixaram os EUA, número que inclui os membros da família dos diplomatas.

    A embaixada russa nos Estados Unidos anunciou mais cedo que dois aviões da frota aérea federal russa "Rossiya" desembarcaram em Washington DC para buscar os diplomatas e suas famílias. O chefe da missão diplomática russa nos EUA, Anatoly Antonov, teria acompanhado os diplomatas expulsos para o aeroporto. Nenhum incidente durante a partida compulsória de seus colegas foi relatado.

    ​​No início do dia, Antonov disse que o caso Skripal era um pretexto para levar a cabo uma guerra de palavras contra a Rússia que foi planejada por um longo período de tempo.

    O governo do presidente dos EUA, Donald Trump expulsou 60 diplomatas russos e suas famílias e decidiu fechar o Consulado Geral russo em Seattle, Washington, depois que o ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha Yulia foram supostamente envenenados com a neurotoxina A234.

    O Ministério das Relações Exteriores da Rússia, em resposta, anunciou a expulsão de 58 funcionários da embaixada dos EUA em Moscou, além de dois funcionários do Consulado Geral dos EUA em Ecaterimburgo e o fechamento do Consulado Geral dos EUA na cidade russa de São Petersburgo.

    Tags:
    A234, Consulado Geral dos EUA em São Petersburgo, Consulado Geral dos EUA em Ecaterimburgo, Consulado Geral da Rússia em Seattle, Yulia Skripal, Sergei Skripal, Anatoly Antonov, Ecaterimburgo, Seattle, Estados Unidos, Reino Unido, São Petersburgo, Washington, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik