13:59 06 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    23131
    Nos siga no

    A OTAN está aumentando a intensidade do treinamento operacional e de combate no flanco leste, incluindo o uso de armas nucleares, advertiu nesta sexta-feira o ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu.

    A agitação na mídia ocidental em torno dos exercícios militares entre a Rússia e a Bielorrússia, o Zapad 2017, é uma artimanha para aumentar a atividade da OTAN nas fronteiras dos dois países, ressaltou o ministro.

    Em uma reunião das lideranças militares russas e bielorrussas, Shoigu lembrou que, apesar de sua natureza rotineira e defensiva, as manobras conjuntas de setembro foram acompanhadas de "constantes ataques de informação e acusações de alguns de nossos parceiros".

    Enquanto isso, a própria OTAN "está aumentando a intensidade das atividades de treinamento operacional e de combate no flanco leste, incluindo exercícios relacionados ao uso de armas nucleares", afirmou o ministro russo.

    "Não queremos ser arrastados para um confronto militar com o Ocidente"

    De acordo com o ministro, os resultados dos exercícios conjuntos permitem desenvolver abordagens para repelir uma possível agressão contra a Rússia e a Bielorrússia, enquanto a cooperação entre os departamentos militares de ambos os países ajuda a "resolver com sucesso os problemas de fortalecimento do potencial de defesa de nossos Estados.

    "E demonstram o crescimento de suas capacidades para garantir a segurança militar", explicou Shoigu. O ministro da Defesa russo enfatizou ainda que isso é especialmente "relevante agora, diante de uma difícil situação política e militar".

    Shoigu detalhou que a OTAN está aumentando sua presença militar, colocando "tropas adicionais" e concentrando "armas ofensivas" nas proximidades das fronteiras russa e bielorrussa.

    Além disso, o bloco militar realiza exercícios militares regulares em grande escala e melhora a infraestrutura de portos marítimos, aeroportos e outras instalações militares. De acordo com o Exército russo, "essas ações prejudicam a estabilidade estratégica e nos obrigam a tomar medidas de retaliação".

    Ao mesmo tempo, Shoigu assegurou que Moscou "não quer ser arrastada para um confronto militar" com o Ocidente e "está disposta a se envolver em um diálogo construtivo sobre toda a gama de problemas de segurança, especialmente em relação à luta contra o terrorismo global".

    Mais:

    Embaixador russo: reforma da OTAN busca enfrentar a Rússia
    Escudo do Báltico e novo comando: OTAN indica caminhos contra 'ameaça russa'
    Silenciosos e mortais: Rússia desenvolve torpedos que não deixam rastros na água
    Tags:
    diplomacia, terrorismo, guerra, armas nucleares, Zapad 2017, OTAN, Ministério da Defesa Russo, Sergei Shoigu, Bielorrússia, Europa, Estados Unidos, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar