03:49 24 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Vladimir Putin, presidente da Rússia, na exposição de negócios da economia digital

    'Inteligência artificial' de Putin provoca histeria nos EUA

    © Sputnik/ Alexey Druzhinin
    Rússia
    URL curta
    196849362

    O presidente da Rússia, Vladimir Putin, declarou que o país que conseguir dominar o desenvolvimento da inteligência artificial será "o dono do mundo". Esta "mensagem" do líder russo chamou a atenção da mídia ocidental e causou uma verdadeira histeria nos Estados Unidos, opinou o colunista Ivan Danilov em seu artigo à Sputnik.

    A mídia de "mainstream" começou a criar uma imagem apocalíptica dos massacres que cometeria "uma inteligência artificial russa" nos campos de batalha. Estes também apontaram para o modo como a "propaganda robotizada" de Putin funcionaria nas redes sociais norte-americanas, escreve Danilov.

    Por sua vez, o magnata Elon Musk pôs lenha na fogueira, citando as palavras de Putin "na campanha do empresário para aumentar a histeria em torno das pesquisas na área de inteligência artificial". Como resultado, uma orquestra de jornalistas e analistas entraram no jogo e exigiram que a ameaça do uso da "inteligência artificial" russa fosse encarada com seriedade, afirmou o colunista.

    Segundo Danilov, logo chegará o dia em que surgirão propostas para introduzir sanções contra a Rússia a fim de "impedir essa ameaça à democracia mundial e aos valores liberais".

    O autor do artigo frisa que tais mídias como CNN tentam acalmar e aterrorizar seus leitores ao mesmo tempo.

    Danilov enfatiza que a mídia ocidental tenta agir combinando dois argumentos. O primeiro é que a Rússia estaria atrasada na área dos estudos avançados no campo da inteligência artificial, sendo assim, seus projetos nesta área não seriam tão bons quando comparados aos seus análogos ocidentais.

    O segundo trata-se de que a inteligência artificial russa compensaria seu "atraso" com a falta de restrições morais.

    "É engraçado e feio ao mesmo tempo, pois o país que bombardeou Hiroshima e Belgrado, além de usar armas químicas no Vietnã, faz sermões quanto ao uso de novas tecnologias. É preciso se acostumar", assinalou o jornalista.

    Danilov recorda que um jornalista da Bloomberg descobriu mais uma causa de preocupação: este informou que o exército russo já estava realizando experimentos com o uso de "guerra centrada nas redes" na Síria.

    Neste sentido, é preciso levar a sério as iniciativas de Musk, que começou a promover a criação de uma convenção da ONU que proíba os estudos no âmbito de armas robotizadas. Musk já conta com o apoio de quase cem empresários e ativistas, a maioria dos quais representa os Estados Unidos e outros países da OTAN, destacou Danilov.

    Mais:

    Boa ideia: ensinar a inteligência artificial a ganhar guerras
    Por que Facebook eliminou novo idioma criado por inteligência artificial?
    China planeja tomar a liderança dos EUA em inteligência artificial até 2030
    Tags:
    histeria, robô, inteligência artificial, Elon Musk, Vladimir Putin, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik