00:36 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Consequências da explosão no metrô de São Petersburgo

    Preso com granada o irmão de suposto organizador do atentado de São Petersburgo

    © AP Photo/ DTP&ChP St. Peterburg via AP
    Rússia
    URL curta
    Explosão no metrô de São Petersburgo (23)
    141

    O Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB) prendeu nesta quarta-feira o irmão mais velho de um dos suspeitos de terem organizado o atentado ao metrô de São Petersburgo, ocorrido no último dia 3 de abril, segundo informações da assessoria de imprensa da entidade.

    O homem de 29 anos, identificado como Akram Azímov, foi detido em Moscou. Com ele, os agentes encontraram uma granada. De acordo com a FSB, a investigação teria apontado que ele teria atuado como cúmplice na organização do ataque.

    Os investigadores suspeitam que Akram Azímov foi um dos cúmplices ao realizar “envios de dinheiro, utilizado para a preparação do atentado, assim como na organização de um canal de comunicação com os representantes de organizações terroristas internacionais”.

    O ataque suicida do dia 3 de abril em um trem que circulava entre duas estações do metrô de São Petersburgo deixou um saldo de 14 mortos, entre eles o terrorista – identificado como Akbarzhon Dzhalilov, de 22 anos –, e mais de 50 feridos.

    O irmão mais novo de Akram Azímov, Abror, foi preso na segunda-feira na cidade russa de Odintsovo, nos arredores de Moscou. Com ele a polícia encontrou uma pistola. Ele é suspeito de ser um dos organizadores do atentado, o que Abror negou em depoimento às autoridades russas.

    Tema:
    Explosão no metrô de São Petersburgo (23)

    Mais:

    Suposto organizador do atentado em São Petersburgo se declara culpado
    Envolvido em atentado a metrô em São Petersburgo está detido, diz FSB
    Maquinista da tragédia no metrô de São Petersburgo doou seu prêmio recebido para vítima
    Tags:
    atentado suicida, terrorismo, Serviço Federal de Segurança (FSB), Akram Azímov, São Petersburgo, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik