03:43 24 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Complexos Iskander durante treinamentos, 17 de novembro de 2016

    Rússia 'não prestará contas à OTAN' sobre suas armas e exercícios militares

    © Sputnik/ Sergei Orlov
    Rússia
    URL curta
    235465377

    O Ministério do Exterior da Rússia falou sobre a agenda da próxima cimeira Rússia-OTAN. O especialista militar Mikhail Khodarenok disse ao serviço russo da Rádio Sputnik que a Aliança não tem outra via senão melhorar as relações com a Rússia.

    Anteriormente, a revista alemã Spiegel escreveu que na próxima reunião entre a Rússia e OTAN, Bruxelas alegadamente exigirá uma explicação de Moscou sobre a deslocação de sistemas Iskander para a região de Kaliningrado (um exclave russo entre a Polônia e a Lituânia, junto ao Mar Báltico).

    Moscou não tem intenção de prestar informações à OTAN sobre o posicionamento de sistemas Iskander na região de Kaliningrado, disse à Sputnik o chefe do Departamento de Cooperação Europeia do MRE da Rússia Andrei Kelin.

    "Não haverá nenhum relatório, isso está fora de questão", disse Kelin. Segundo o representante do MRE russo, na próxima reunião se realizará uma troca de opiniões "sobre as questões mais destacadas que preocupam ambas as partes".

    Assim, segundo ele, a Rússia está preocupada com o posicionamento de batalhões da OTAN na Polônia e nos países do Báltico, enquanto a Aliança Atlântica está com os exercícios russos Kavkaz (Cáucaso em russo) e Zapad (Ocidente em russo) e com as manobras na Crimeia.

    Anteriormente, o chefe do MRE da Rússia Sergei Lavrov já tinha dito que, ao contrário dos EUA, a Rússia instala armas no seu próprio território, para defender suas fronteiras no contexto de expansão da OTAN até ao seu território.

    "Os sistemas de mísseis Iskander não foram mencionados em quaisquer acordos sobre limitação de armamentos de qualquer tipo. Ao mesmo tempo, a região de Kaliningrado é território da Rússia. […] Nós não somos obrigados a informar a OTAN sobre isso ou outras estruturas", disse Khodarenok.

    O especialista também considera que os exercícios militares em território russo são uma questão interna do país, enquanto a OTAN coloca seus batalhões na Polônia e no Báltico se baseando em uma ameaça inventada.

    "Segundo várias estruturas da OTAN, isto é causado 'pela ameaça russa' que existe apenas nas cabeças excitadas de vários líderes europeus. Os acontecimentos recentes são indiciados pelas seguintes palavras: 'Senhores, vocês procuram a ameaça aos seus países e à OTAN em geral no lugar errado. A ameaça não virá daí.' Mas eles não percebem isto e tentam encontrar a ameaça na instalação dos sistemas Iskander", disse.

    O especialista militar expressou a esperança que a próxima reunião vá contribuir para o reestabelecimento do diálogo entre a Rússia e a OTAN.

    Mais:

    Montenegro e ameaça fantasma russa
    Noruega se prepara para 'ameaça russa' apesar do risco de extremismo islâmico
    Moscou: Políticos dos EUA 'se intimidaram completamente com a sombra da ameaça russa'
    Tags:
    segurança nacional, Iskander, OTAN, Europa, Mar Báltico, Polônia, Kaliningrado, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik