06:34 17 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Edifício do Ministério de Relações Exteriores

    'Parece que EUA não têm outro objetivo além de arruinar as relações com Rússia'

    © Sputnik/ Maksim Blinov
    Rússia
    URL curta
    354980231

    A atual administração dos Estados Unidos, declarando a possibilidade de introduzir novas sanções contra a Rússia, aparentemente visa destruir completamente relações com Moscou, declarou vice-chanceler russo, Sergei Ryabkov.

    Na véspera, Josh Earnest, porta voz da Casa Branca, disse que os EUA estão negociando com parceiros europeus a possibilidade de fazer frente às ações da Rússia na Síria. Entre as possíveis medidas foram mencionadas novas sanções.

    "Conforme os aliados, assim é o modo de negociar com eles", frisou Ryabkov. Segundo ele, surge a impressão de que a Casa Branca não tem outro objetivo além de arruinar as relações com Rússia por completo.

    De acordo com o ministro, para Moscou estas declarações não têm nada de novo. "Provavelmente, a única novidade é a intensidade com que se repetem estas fórmulas mágicas sobre as sanções. Eu já aposto com qualquer pessoa que eles vão continuar falando das sanções diariamente. Isso se transformou em uma espécie de ritual diário, um programa obrigatório em certos tipos de esporte, sem o qual, provavelmente, alguns políticos da administração não recebem ponto de prova", disse o vice-chanceler russo.

    Os países ocidentais acusam Moscou e Damasco de realizarem ataques aéreos contra civis e oposição armada. A Síria e a Rússia insistem em que atacam apenas terroristas, e acusam os EUA de serem incapazes de separar oposição "moderada" dos radicais.

    O Kremlin afirma que a extensão de sanções apenas piorará a situação e não contribuirá para resolução dos problemas.

    Mais:

    'Nenhum país exigiu novas sanções contra Rússia na cúpula da UE'
    Documento final da cúpula da UE não menciona sanções contra Rússia e Síria
    Merkel: sanções contra Rússia só se a intensidade de ataques em Aleppo permanecer a mesma
    'Nenhum dos países da UE pensou em introduzir sanções contra Rússia por causa da Síria'
    Tags:
    política internacional, sanções, Síria, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik