18:47 15 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Dmitry Medvedev. Foto de arquivo

    Premiê russo: não somos a União Europeia, somos mais fortes e estáveis

    © Sputnik / Aleksei Nikolsky
    Rússia
    URL curta
    4523

    O primeiro-ministro da Rússia, Dmitry Medvedev, declarou que a Comunidade Econômica Euroasiática é mais forte e mais sólida do que a União Europeia.

    Em uma coletiva de imprensa realizada após a reunião do Conselho Intergovernamental da Comunidade Econômica Euroasiática, Dmitry Medvedev pediu aos jornalistas que não confundissem a EurAsEC com a UE.

    "Quero lhes mostrar que nós chamamos a nossa formação de EurAsEC. Quando anteriormente diziam a União Econômica Euroasiática (UEE) muita gente nos confundia com a União Europeia. Nós não somos a UE, somos mais fortes e mais estáveis", disse o primeiro-ministro, citado pelo jornal Izvestia.

    A reunião em que participaram os primeiros-ministros da Rússia, Cazaquistão, Belarus, Armênia, Quirguistão foi realizado no dia 12 de agosto, na cidade russa de Sochi.

    Durante o encontro, os representantes desses países discutiram a futura cooperação econômico-comercial, o novo código aduaneiro do bloco e os acordos sobre a criação de zonas de livre comércio com Estados não membros.

    "Preparamos vários acordos sobre a criação de zonas de livre comércio com Israel, Índia e Irã. Também discutimos a possibilidade colaborar com a Coreia do Sul, Singapura e Indonésia. Mostramos o nosso apoio total ao novo código aduaneiro e a sua rápida aprovação. O documento deve se tornar uma garantia do trabalho seguro dos empresários e de nossos parceiros comerciais", disse o primeiro-ministro do Cazaquistão, Karim Masimov.

    Mais:

    Medvedev: Rússia esgotou seu limite de revoluções
    Medvedev: 'Rússia não desiste dos seus planos de exploração do espaço'
    Premiê russo: BRICS não precisam de moedas estrangeiras
    Tags:
    relações econômicas, parceria, economia, União Eurasiática, Dmitry Medvedev, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik