06:17 19 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Presidente russo Vladimir Putin está discursando perante a Assambleia Federal da Federação da Rússia, Kremlin, Moscou, 4 de dezembro de 2014

    Putin acusa Kiev de recorrer à 'prática do terrorismo'

    © Sputnik/ Grigory Sysoyev
    Rússia
    URL curta
    81627291

    O presidente da Rússia Vladimir Putin acusou as autoridades ucranianas de "aderir ao terrorismo", após a inteligência russa ter interceptado e neutralizado um grupo ucraniano que pretendia realizar atentados terroristas na Crimeia.

    O fracassado plano, que segundo o Serviço de Segurança Federal da Rússia pertencia ao Ministério da Defesa da Ucrânia, foi classificado pelo líder russo como "uma ação estúpida e criminosa" e "um jogo muito perigoso".

    "Pelo que parece, aquelas pessoas, que em seu tempo tomaram e continuam mantendo o poder em Kiev, aderiram à prática do terrorismo ao invés de buscar meios para uma regulação pacífica. Nesse caso, não posso deixar de lembrar o atentado – avaliado por nós no mesmo contexto – contra a vida do líder da República Popular de Lugansk. E agora, temos essa tentativa de incursão no território da Crimeia" – disse Putin em entrevista coletiva após um encontro com o presidente da Armênia, Serzh Sargsyan.

    O presidente russo lembrou que durante a ação para interceptar a atividade dos terroristas foram mortos dois agentes da inteligência da Rússia. "Certamente, não permitiremos que coisas assim passem em branco" – destacou Putin.

    "A tentativa de provocar uma onda de violência, de provocar um conflito, é nada mais nada menos do que o desejo de desviar a atenção da sociedade do país daquelas pessoas que tomaram o poder em Kiev e continuam roubando o seu próprio povo" – acrescentou Putin.

    Nesta quarta-feira (10), as autoridades russas informaram ter neutralizado um grupo ucraniano que preparava em instalações de infraestrutura vitais da Crimeia, com o objetivo de desestabilizar a situação sócio-política na península durante a preparação e realização das próximas eleições na Rússia.

    Tags:
    acusação, terrorismo, Vladimir Putin, Crimeia, Kiev, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik