17:07 31 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    6105
    Nos siga no

    O líder supremo do Talibã, xeique Haibatullah Akhundzada, afirmou que os mujahideen são partidários de uma solução política apesar de seus avanços militares, e que buscam estabelecer boas relações com todos os países.

    "Apesar dos avanços e conquistas militares, o Emirado Islâmico [do Afeganistão] é forte partidário de uma solução política no país, e aproveitará qualquer oportunidade para estabelecer um sistema islâmico, a paz e a segurança", declarou Akhundzada.

    O líder também recordou que os talibãs criaram um Escritório Político para facilitar as negociações e designaram uma equipe de negociadores, enquanto que "os partidos da oposição ainda estão perdendo tempo".

    "Nossa mensagem continua sendo que, ao invés de dependermos de estrangeiros, resolvamos nossos assuntos entre nós e resgatemos nossa pátria da crise que atravessa", manifestou.

    Com relação à política exterior, Akhundzada assegurou que os talibãs buscam "boas e sólidas relações diplomáticas, econômicas e políticas no marco da interação recíproca e os acordos mútuos com todos os países do mundo, incluindo os EUA, após a retirada de todas as forças estrangeiras".

    "O Afeganistão não permitirá que ninguém utilize seu território para ameaçar a segurança de nenhum outro país. E também instamos os outros países a se absterem de toda a ingerência em nossos assuntos internos", enfatizou.

    Segundo ele, os Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) não colocarão qualquer obstáculo ao trabalho das missões diplomáticas, organizações humanitárias e investidores estrangeiros, e que se esforçarão para garantir sua proteção e segurança.

    Mais:

    Com saída das forças dos EUA, civis afegãos se armam para lutar contra Talibã, segundo mídia
    EUA e OTAN serão 'forças de ocupação' se permanecerem no Afeganistão após 11 de setembro, diz Talibã
    Talibã garante que Cabul não pode recuperar controle do norte do Afeganistão
    Tags:
    relações diplomáticas, política, Afeganistão, Talibã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar