03:01 19 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    3112
    Nos siga no

    Nesta segunda-feira (17), o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, e o papa Francisco debateram em uma conversa telefônica os ataques de Israel contra territórios palestinos.

    Em suas declarações, o presidente turco disse ao papa que os alvos dos ataques israelenses não são apenas os palestinos, mas sim todos os muçulmanos, cristãos e a humanidade, escreve agência Anadolu.

    Além disso, Erdogan instou ao papa a ajudar a acabar com o que chamou de "massacre" de palestinos pelas forças de Israel, e acrescentou que por essa ação o Estado judeu deve ser punido com sanções, declarou o gabinete do presidente turco.

    "Toda a humanidade deve se unir contra a ocupação de Israel que não hesita em atacar santuários", disse o líder turco.

    "Os palestinos continuarão sendo alvo de um massacre, a menos que comunidade internacional puna Israel […] com sanções", afirmou Erdogan, acrescentando que as mensagens do papa foram de "grande importância para mobilizar o mundo cristão e a comunidade internacional".

    Por fim, o líder turco disse que Ancara conduz intensos esforços diplomáticos em todas as plataformas internacionais relevantes, mas o Conselho de Segurança das Nações Unidas não demonstra o necessário sentido de responsabilidade.

    Até esse domingo (16), mais de 3.000 foguetes foram lançados contra território israelense, partindo da Faixa de Gaza. Já Israel afirma ter atingido mais de 1.500 alvos do Hamas.

    Uma mulher palestina com seu filho nos braços foge de casa durante ataques aéreos e de artilharia israelenses
    © REUTERS / Mohammed Salem
    Uma mulher palestina com seu filho nos braços foge de casa durante ataques aéreos e de artilharia israelenses

    Segundo o Ministério da Saúde da Faixa de Gaza, os ataques israelenses deixaram pelo menos 197 pessoas mortas, incluindo 58 crianças, e feriram mais de 1.200. Do lado israelense, o número de vítimas fatais é de dez.

    Entre os dias 7 e 10 de maio eclodiram violentos e massivos confrontos entre palestinos e a polícia israelense, que levaram à maior escalada de tensões dos últimos anos.

    Os tumultos começaram simultaneamente em duas áreas de Jerusalém Oriental – perto do Monte do Templo e no bairro Sheikh Jarrah – onde várias famílias árabes estão sendo expulsas de suas habitações por decisão de um tribunal israelense.

    Mais:

    Ataques de Israel matam 42 pessoas em Gaza, o pior número em uma semana de conflito (VÍDEOS)
    'Perderam sua bússola moral': Estados muçulmanos condenam quem normalizou relações com Israel
    'Crime de guerra': AP pede investigação independente sobre ataque israelense a escritório de mídias
    Tags:
    Faixa de Gaza, conflito israel palestina, ataques aéreos, Recep Tayyip Erdogan, Papa Francisco
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar