12:22 24 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4163
    Nos siga no

    De acordo com o vice-secretário-geral do movimento libanês Hezbollah, Naim Qassem, o general iraniano Qassem Soleimani foi morto porque tinha poder para conter os "esquemas hegemônicos" da América.

    "[Donald] Trump não teria tomado a decisão de assassinar abertamente Qassem Soleimani se ele não fosse por sua ameaça constante aos esquemas hegemônicos dos EUA na forma mais dolorosa", afirmou Qassem durante entrevista ao portal al-Ahed.

    "O general Soleimani não estaria ocupando uma posição tão elevada no coração das pessoas se não fosse pelas suas realizações e pelas vitórias da frente de resistência que surgiu durante seu serviço", adicionou.

    Soleimani era conhecido por manter laços próximos com o Hezbollah, chegando a revelar em uma entrevista que ele e o líder do Hezbollah Hassan Nasrallah escaparam por pouco de um ataque de drone israelense em 2006.

    A boy carries a portrait of Iranian Revolutionary Guard Gen. Qassem Soleimani
    © AP Photo / Vahid Salemi
    A boy carries a portrait of Iranian Revolutionary Guard Gen. Qassem Soleimani

    Em janeiro deste ano, um ataque aéreo norte-americano em Bagdá vitimou o general Qassem Soleimani, então comandante da Força Quds do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica e uma das figuras mais respeitadas no Irã, gerando grande indignação no país e na região.

    Mais:

    Acusado de liderar protestos em 2017, jornalista opositor é executado no Irã
    Irã monitora movimentos dos EUA e ameaça com consequências caso o país viole 'linhas vermelhas'
    Apesar das sanções dos EUA, Irã envia navio para carregar petróleo da Venezuela, afirma mídia
    Tags:
    Hezbollah, EUA, ataque, drone, Qassem Soleimani, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar