11:15 15 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    7625
    Nos siga no

    Nesta sexta-feira (27), o físico nuclear iraniano Mohsen Fakhrizadeh foi morto na cidade de Absard, próximo a Teerã, causando indignação e protesto das autoridades iranianas.

    Em sua página no Twitter, o líder supremo do Irã, Ali Khamenei, condenou fortemente a morte do físico nuclear iraniano Mohsen Fakhrizadeh, apelando para que os responsáveis pelo crime sejam punidos.

    Para o líder iraniano, a primeira prioridade após o assassinato é "a punição definitiva dos responsáveis e daqueles que o ordenaram". Contudo, não entrou em detalhes de como seria esta punição.

    Além disso, neste sábado (28), Khamenei prometeu retaliar o assassinato do proeminente cientista e disse que o desenvolvimento do programa nuclear iraniano vai continuar.

    O físico Mohsen Fakhrizadeh, diretor de um renomado centro de pesquisa e inovação nuclear, foi morto nesta sexta-feira (27) após ser alvo de um ataque com arma de fogo e bomba na cidade de Absard, situada a 175 quilômetros da capital iraniana.

    Local do ataque ao físico nuclear Mohsen Fakhrizadeh em Absard, no norte do Irã
    © REUTERS / WANA News Agency
    Local do ataque ao físico nuclear Mohsen Fakhrizadeh em Absard, no norte do Irã

    O presidente do país persa, Hassan Rouhani, acusou Israel de estar por trás do assassinato, ecoando o chanceler Javad Zarif, que também afirmou que Israel poderia ter estado envolvido na morte do físico. Contudo, até o momento, as autoridades israelenses não fizeram nenhum comentário sobre o assassinato do cientista.

    "A nação iraniana é inteligente o suficiente para não cair na armadilha dos sionistas. Eles estão tentando criar o caos", afirmou Rouhani se referindo às autoridades israelenses.

    Em 2018, em uma apresentação televisionada, o primeiro-ministro de Israel Benjamin Netanyahu apontou Fakhrizadeh como uma das pessoas que ele considerava mais perigosas para seu país.

    Teerã reitera que seu programa nuclear tem fins pacíficos, negando as acusações de Israel de estar desenvolvendo um programa nuclear militar em segredo.

    Após acusações de envolvimento no ataque, Israel colocou suas embaixadas ao redor do mundo em estado de alerta, temendo represálias iranianas, informa o portal N12. No entanto, um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Israel afirmou que não comentaria questões de segurança envolvendo seus representantes no exterior.

    Mais:

    EUA enviam navios ao golfo Pérsico, excluindo conexão com assassinato de cientista no Irã, diz mídia
    Em carta à ONU, Irã acusa Israel e pede que organização condene morte de cientista
    Israel só poderá normalizar relações com Riad após morte de rei Salman, diz fonte
    Tags:
    aiatolá Khamenei, cientistas, físico, assassinato, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar