05:56 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    243
    Nos siga no

    Uma aeronave da coalizão internacional liderada pelos EUA no Iraque destruiu nesta sexta-feira (19) três esconderijos do grupo terrorista Daesh em Wadi al-Shai, na província de Kirkuk, no norte do Iraque.

    Um porta-voz militar da coalizão, coronel Myles B. Caggins III, revelou em comunicado neste sábado (20) que a operação foi realizada a pedido do governo iraquiano "para ajudar na derrota permanente do Daesh".

    Wadi al-Shai virou um refúgio para terroristas do Daesh (organização proibida na Rússia). O grupo começou a se esconder nas regiões rurais depois que seu último reduto foi destruído pelas Forças de Segurança do Iraque e Forças Democráticas da Síria em março de 2019.

    "As forças de segurança iraquianas têm realizado uma avaliação tática do Daesh; ataques aéreos ajudam a destruir os alvos do Daesh em terrenos difíceis de alcançar por veículos comuns", disse Caggins. "Explodir os esconderijos do Daesh em locais bucólicos resulta em segurança nas cidades e aldeias", acrescentou.

    O Comando Central dos EUA comentou a mais recente operação contra a organização terrorista, dizendo que a coalizão "continuará mantendo uma pressão implacável" sobre o grupo terrorista.

    "Além das operações militares, a Coalizão interrompeu e degradou significativamente as operações de propaganda do Daesh, as finanças e as redes de tráfico de seres humanos", concluiu o comunicado.

    No início deste mês, os caças da coalizão internacional realizaram um ataque aéreo contra cavernas que estariam sendo usadas por combatentes do Daesh a nordeste da cidade de Bayji, no norte do Iraque.

    Mais:

    Exército dos EUA divulga VÍDEO de bombardeio contra posições do Daesh no Iraque
    EUA serão 'expulsos' do Iraque e da Síria, diz líder supremo do Irã
    EUA transferem ao menos 30 caminhões com equipamentos do Iraque para Síria, revela mídia
    Tags:
    ataque aéreo, EUA, Iraque, Daesh
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar