21:28 31 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    543
    Nos siga no

    Os israelenses usarão tecnologia antiterrorista para detectar pacientes com coronavírus e também aqueles que deixam de cumprir a quarentena obrigatória, disse neste sábado (14) o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

    Todos os estrangeiros que entram no país devem se auto-isolar por 14 dias, segundo determinação do governo israelense. Além disso, todas as escolas, restaurantes, cafés, academias e a maioria das empresas foram fechadas no país.

    "Vamos rastrear pacientes, inclusive com a ajuda da tecnologia digital que estamos usando na batalha contra o terrorismo", disse Netanyahu em discurso televisionado.

    O premiê disse ainda que o governo encarregou o Ministério da Justiça de preparar uma estrutura legal que permita o uso dessa tecnologia. Israel detectou 50 novos casos do novo coronavírus da noite para o dia, elevando o total de casos confirmados no país para 193.

    Dados oficiais apontam que mais de 61 mil pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus fora da China, onde doença foi detectada pela primeira vez. A Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou o surto como pandemia, e pediu que os países endureçam as medidas para conter o avanço da doença.

    Mais:

    Ucrânia decreta fechamento das fronteiras para conter o COVID-19
    Sobe para 121 o número de casos do novo coronavírus no Brasil
    Coronavírus: Espanha declara estado de emergência e anuncia bloqueio parcial do país
    Israel e Arábia Saudita endurecem medidas para conter coronavírus
    Tags:
    novo coronavírus, Benjamin Netanyahu, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar