10:13 15 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    8591
    Nos siga no

    As Forças Armadas da Síria estão retomando a região de Aleppo, ficando mais próximas de controlar todo o território sírio. Segunda maior cidade da Síria, Aleppo era o centro econômico do país, até ser destruída por nove anos de guerra.

    Nesta segunda-feira (18), o Exército sírio anunciou ter retomado o controle total de dezenas de povoados na região noroeste de Aleppo e que continuará sua campanha para derrotar os grupos militantes "onde quer que estejam".

    Os avanços foram feitos após as Forças Armadas da Síria terem reconquistado a rodovia M5, considerada de alto valor estratégico por ligar as duas maiores cidades do país, Aleppo e Damasco, reportou a Reuters.

    O presidente sírio, Bashar Assad, comemorou com cautela as vitórias das Forças Armadas em discurso na televisão local.

    "Nós sabemos que essa liberação não significa o fim da guerra, nem o término dos atentados terroristas, tampouco a rendição do inimigo. Mas com certeza esfrega o nariz deles na lama", disse Assad. "Esse é o prelúdio para a derrota final deles".

    As forças do governo sírio intensificaram a campanha para reconquistar a província de Idlib, o principal reduto das forças de oposição, desde o início deste ano.

    Mesquita na província de Idlib, em cidade liberada pelo exército da Síria, em 13 de fevereiro e 2020
    © Sputnik / Dmitry Vinogradov
    Mesquita na província de Idlib, em cidade liberada pelo exército da Síria, em 13 de fevereiro e 2020

    A ofensiva de Damasco aumentou os riscos de confronto entre forças sírias e turcas. A Turquia mantém postos de observação na província de Idlib, aonde alega lutar contra forças curdas.

    O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, disse que seu exército irá responder aos avanços das forças sírias, caso Damasco não se retire da província síria de Idlib até o fim do mês.

    Uma delegação turca se dirigiu a Moscou, nesta segunda-feira (18), para negociar com a Rússia a imposição de um cessar-fogo.

    O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse que os ataques de grupos militantes islâmicos contra posições russas e sírias "não podem ficar sem resposta".

    "As tropas russas e sírias operando em Idlib, na Síria, estão em constante contato [...] elas estão completamente coordenadas", disse Lavrov.

    As Forças Armadas Sírias anunciaram, por sua vez, que "continuarão a sua missão nobre de extirpar todos os remanescentes de organizações terroristas, onde quer que se encontrem no território da Síria".

    Na segunda-feira (17), o ministro dos Transportes da Síria, Ali Hammoud, anunciou que o aeroporto de Aleppo deve ser reaberto para voos civis. O primeiro voo partiria de Aleppo para Damasco, nesta quarta-feira (19).

    Em breve, o governo tem a intenção de reabrir as rotas ligando Aleppo ao Cairo, informou a agência de notícias local SANA.

    Campo de oliveiras na cidade retomada pelo governo Sírio no sudeste de Idlib, em 25 de janeiro de 2020
    © Sputnik / Mikhail Voskresensky
    Campo de oliveiras na cidade retomada pelo governo Sírio no sudeste de Idlib, em 25 de janeiro de 2020

    O jornal Al-Watan, por sua vez, anunciou que a rodovia M5 deve ser reaberta ao público até o fim da semana.

    A cidade de Aleppo, que era considerada o centro econômico da Síria antes da guerra estourar, há cerca de nove anos atrás, foi alvo de batalhas cruéis, principalmente em 2012 e 2016.

    Mais:

    Antigo secretário-geral da Liga Árabe garante que readmissão da Síria está próxima
    Cinegrafistas de emissora síria são atacados por militantes em Aleppo
    Irã ameaça dar 'resposta esmagadora' a qualquer ação de Israel contra seus interesses na Síria
    Tags:
    Bashar Assad, conflito sírio, Síria, Aleppo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar