17:23 05 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    10629
    Nos siga no

    O presidente palestino, Mahmoud Abbas, criticou o chamado "acordo do século" proposto pelos Estados Unidos nesta terça-feira (28), e disse que o plano nunca se concretizará e que o povo palestino o jogará na "lata de lixo da História".

    Mais cedo nesta terça-feira, o presidente dos EUA, Donald Trump, revelou o plano como uma proposta de solução de dois Estados, alegando que a Palestina dobraria seu território com a proposta. Trump também revelou que os Estados Unidos e Israel formarão um comitê conjunto para monitorar a implementação do acordo.

    "Jerusalém não está à venda, o 'acordo do século' não será cumprido e nosso povo a enviará para a lata de lixo da história", disse Abbas sobre a proposta.

    Abbas acrescentou que os palestinos não se curvarão e não irão se render.

    "Estamos unidos diante de todos os planos de extermínio que nosso povo rejeitará. Dizemos 'não, não, não' ao acordo do século", disse Abbas.

    O chefe do departamento político do Hamas, Ismail Haniyeh, em um telefonema com o presidente Mahmoud Abbas, segundo publicou a agência de notícias WAFA, disse que o plano de paz dos EUA para Oriente Médio é uma tentativa de se livrar do projeto nacional da Palestina. O Hamas, apontado como grupo terrorista no documento do acordo, rejeita o plano, conforme revelou a agência WAFA.

    Presidente dos EUA, Donald Trump, recebe o líder palestino, Mahmoud Abbas, na Casa Branca (foto de arquivo)
    © REUTERS / Carlos Barria
    Presidente dos EUA, Donald Trump, recebe o líder palestino, Mahmoud Abbas, na Casa Branca (foto de arquivo)
    "A Palestina é o nosso lar. Também não haverá acordo sobre esta terra preciosa. Também não está à venda. Declaramos inequivocamente que rejeitamos o acordo do século. O Hamas considera que nunca se retirará da batalha contra o plano de Trump", afirmou Haniyeh.

    O premiê de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmou que Israel está pronto para negociar com a Palestina nos termos do acordo que, segundo ele, oferece um caminho realista para a paz.

    As autoridades palestinas disseram que rejeitarão qualquer acordo que viole o direito internacional. A pedido do governo palestino, a Liga Árabe realizará uma reunião extraordinária no sábado (1º) para discutir os termos do plano de paz.

    Tags:
    Hamas, Mahmoud Abbas, Donald Trump, Palestina, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar