02:53 10 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4125
    Nos siga no

    Durante a conferência de Berlim, foi o comandante do Exército Nacional Líbio, Khalifa Haftar, quem se recusou a assinar o acordo de armistício na Líbia, afirmou fonte diplomática à Sputnik.

    "Em Berlim, foi precisamente Haftar quem se recusou a assinar o acordo de armistício. Comportou-se de forma estranha: desligou o telefone, não contatou e não avisando ninguém foi embora", declarou.

    Anteriormente, a chanceler alemã, Angela Merkel, expressou a esperança de que a conferência sobre a Líbia, realizada em Berlim neste domingo (19), poderia trazer um cessar-fogo duradouro ao país africano.

    A conferência de Berlim ocorreu após as negociações em Moscou, contando com a participação de representantes da Rússia e Turquia. O comandante do Exército Nacional Líbio, Khalifa Haftar, deixou Moscou sem assinar o acordo de trégua com o primeiro-ministro Fayez al-Sarraj. Entretanto, a delegação de Trípoli assinou o acordo e depois disso seguiu para Istambul.

    Depois da queda e do assassinato do ex-presidente líbio Muammar Kadhafi, em 2011, o país deixou de ser um Estado unificado, tendo tem dois centros de poder: o Governo do Acordo Nacional (GNA, na sigla em inglês), que governa a capital Trípoli e a região noroeste do país, sob liderança de Fayez al-Sarraj e apoiado pela ONU e UE, e o Exército Nacional Líbio (LNA, na sigla em inglês), comandado por Khalifa Haftar, que domina a maior parte do país.

    Mais:

    Turquia vai enviar tropas para a Líbia, afirma presidente turco Erdogan
    Khalifa Haftar agradece a Putin por esforços da Rússia para resolver crise líbia
    Líder do LNA, Khalifa Haftar, concorda com cessar-fogo na Líbia
    Tags:
    conferência, Alemanha, acordo, Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar