12:37 14 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Veículos blindados da Polícia Militar da Rússia perto da cidade de Kobane, Síria

    Acordo com a Turquia: Polícia Militar da Rússia continua patrulha na Síria

    © Sputnik / Mikhail Alaeddin
    Oriente Médio e África
    URL curta
    251
    Nos siga no

    A Polícia Militar russa segue patrulhando as províncias de Aleppo e Raqqa na Síria ao longo da fronteira com a Turquia.

    A medida é parte parte do acordo Rússia-Turquia sobre a região norte da Síria. A informação foi divulgada neste domingo (1º) pelo major-general Yuri Borenkov, chefe do Centro de Reconciliação Síria do Ministério da Rússia.

    "As unidades da polícia militar russa continuam patrulhando rotas [...] na província de Raqqa, [...] e na província de Aleppo", disse Borenkov em um briefing, acrescentando que o patrulhamento aéreo também estava sendo conduzido pelas forças russas.

    Acordo entre Rússia e Turquia

    Após negociação entre o presidente russo Vladimir Putin e o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, o acordo russo-turco foi assinado em 22 de outubro em Sochi, na Rússia, estipulando condições para a retirada pacífica da milícia curda na Síria. Os curdos serão enviados para uma distância de 30 quilômetros do país da fronteira com a Turquia.

    O documento de 10 pontos prevê uma variedade de missões de patrulha realizadas pelo contingente militar russo na Síria, além de guardas de fronteira sírios e tropas turcas, a fim de garantir a implementação do acordo.

    Mais:

    VÍDEO mostra militares russos desembarcando em antiga base americana na Síria
    Rússia continua patrulha aérea no norte na Síria
    Rússia envia destacamento médico das tropas especiais para o norte da Síria
    Moscou: Rússia e Turquia mantêm contato constante para resolver diferenças na Síria
    Tags:
    Raqqa, Aleppo, Vladimir Putin, Recep Tayyip Erdogan, Turquia, Rússia, Síria, Centro de Reconciliação Síria do Ministério da Defesa da Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar