16:56 24 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    14683
    Nos siga no

    Os EUA estão roubando campos petrolíferos na Síria, é o mais flagrante exemplo concreto da política estadunidense, afirmou o presidente da Síria, Bashar Assad.

    "Nós, é claro, estamos furiosos, todo o povo da Síria está furioso. É uma verdadeira pilhagem [...] mas não há aqui a ordem internacional ou o direito internacional [...] Não é, digamos, um fenômeno novo, vamos enfrentá-lo, e não diz respeito apenas ao tempo de guerra", disse Assad em uma entrevista ao canal RT.

    "Os americanos sempre buscam saquear outros países de uma forma ou de outra, roubando não apenas petróleo, dinheiro e recursos financeiros em geral, mas também direitos, quer políticos, quer todos os outros", sublinhou Assad.

    "Este é o seu papel histórico desde, pelo menos, o fim da Segunda Guerra Mundial. Portanto, não há nada de novo aqui, e isso não parece estranho ou desligado das suas políticas anteriores. Exceto o fato de, de vez em quando, os métodos dos EUA assumirem novas formas. Neste caso, a pilhagem de campos de petróleo é o exemplo prático mais flagrante da política americana, que é a de roubar os direitos dos outros", disse o líder sírio.

    Além disso, o presidente da Síria afirmou que o Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia e em vários outros países) "tinha dois parceiros na pilhagem das reservas de petróleo na Síria - a Turquia e os Estados Unidos".

    Quanto a um possível encontro com o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, Assad disse que, atualmente, a ideia lhe parece "inapropriada".

    "A ideia de me encontrar com ele agora me parece inapropriada. Acho que ninguém que ocupe seu território pode ser um interlocutor bem-vindo", disse Assad.

    O presidente sírio disse também que não considera os turcos inimigos da Síria.

    "Os turcos são nossos vizinhos, partilhamos um passado comum, eles simplesmente não podem ser inimigos da Síria. Os nossos inimigos são Erdogan, a sua política e o seu círculo próximo", afirmou Bashar Assad.

    Mais:

    Erdogan: Turquia e Rússia começarão a patrulhar áreas curdas na Síria na sexta-feira
    WikiLeaks anuncia provas que refutam 'ataque químico' de Assad na Síria
    Assad suspeita da morte do líder do Daesh e a relaciona ao assassinato 'duvidoso' de bin Laden
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar