12:47 13 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Marechal Khalifa Haftar

    Ex-oficial do exército de Haftar divulga meios místicos de persuasão do marechal

    © REUTERS / Philippe Wojazer
    Oriente Médio e África
    URL curta
    205
    Nos siga no

    Muhammad al-Hijazi, ex-oficial e representante do Exército Nacional Líbio (LNA), disse em entrevista ao Lybia Al-Ahrar que o marechal Khalifa Haftar contratou "feiticeiros" para influenciar as pessoas ao seu redor.

    "Eles até usaram algo que não pode ser entendido pela razão. Os feiticeiros vieram até eles do Níger e do Chade", disse al-Hijazi.

    De acordo com ele, a um feiticeiro foi "pago meio milhão" (a moeda não foi especificada) para ele fazer para Haftar um anel mágico com uma pedra preciosa e que contém um "gênio servidor".

    "Cada vez que Haftar vem a uma reunião, todas as pessoas começam a bater palmas com entusiasmo", acrescentou al-Hijazi. O ex-oficial também admitiu que quando estava perto do marechal se sentia como se estivesse envolvido em um "nevoeiro estranho".

    "Assim que cruzei o limiar do comando, o meu corpo começou a tremer. Senti tremores e como se o corpo estivesse entorpecido", disse o ex-militar.

    Ofensiva contra Trípoli

    O comandante do Exército Nacional da Líbia Oriental (LNA), Khalifa Haftar, ordenou que suas forças lançassem uma ofensiva contra Trípoli para a "libertar dos terroristas".

    Os grupos armados leais ao Governo do Acordo Nacional (GNA) em Trípoli anunciaram o lançamento da operação Vulcão da Ira. Os combates em Trípoli já mataram quase 1.050 pessoas e feriram mais de 5.500, segundo a Organização Mundial da Saúde.

    Mais:

    Exército de Haftar sofre perdas: teria sido captada FOTO do seu primeiro tanque destruído
    Exército do marechal Haftar assume controle sobre campo militar ao sul de Trípoli
    Líbia: EUA exigem que tropas de Haftar parem ofensiva sobre Trípoli
    Tags:
    bruxo, ex-oficial, Khalifa Haftar, Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar