22:23 15 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    7150
    Nos siga no

    O comandante da Marinha iraniana, Hossein Khanadi, disse neste domingo (12), que os EUA devem deixar a região do golfo Pérsico. O militar fez a afirmação ao comentar a presença norte-americana na região.

    No início desta semana, o secretário interino da Defesa dos EUA, Patrick Shanahan, aprovou o envio do sistema de defesa antimísseis Patriot e do USS Arlington (LPD-24) para o Oriente Médio. Além disso, os Estados Unidos já haviam enviado o porta-aviões USS Abraham Lincoln e uma força-tarefa de bombardeiros para a região próxima do Irã, em uma área controlada pelo Comando Central dos EUA (CENTCOM) com o objetibo de enviar "uma mensagem clara e inequívoca" a Teerã.

    "A presença dos americanos na região do golfo Pérsico chegou ao fim e eles devem deixar a região", disse Khanadi, citado pela agência Iraniana de Notícias para Estudantes (ISNA, na sigla em inglês).

    A autoridade militar iraniana afirmou ainda que Washington pretende aumentar a probabilidade de guerra ao enviar um porta-aviões ao golfo Pérsico.

    A tensão entre Irã e Estados Unidos aumentaram desde maio de 2018, após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deixar o acordo nuclear iraniano. Em menos de um ano, Washington divulgou várias rodadas de sanções contra a república islâmica, visando as finanças, transporte, forças armadas e outras esferas do país.

    Teerã informou no início da semana aos embaixadores dos países que fazem parte do acordo — China, França, Alemanha, Rússia e Reino Unido — de sua decisão de suspender algumas de suas obrigações sob o acordo nuclear.

    O presidente iraniano, Hassan Rouhani, anunciou que deu aos países europeus 60 dias para garantir que os interesses do Irã fossem protegidos pelo acordo.

    Tags:
    tensão geopolítica, Irã, Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA), Patriot, USS Abraham Lincoln, Patrick Shanahan, Reino Unido, Alemanha, França, China, Estados Unidos, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar