15:46 21 Maio 2019
Ouvir Rádio
    In this Nov. 6, 2018, file photo, Rep. Tulsi Gabbard, D-Hawaii, greets supporters in Honolulu. Gabbard has announced she’s running for president in 2020

    Trump é 'servo' dos sauditas por apoio ao genocídio no Iêmen, diz possível rival em 2020

    © AP Photo / Marco Garcia
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 53

    Candidata à nomeação presidencial democrata em 2020, a deputada estadunidense Tulsi Gabbard chamou a decisão do presidente Donald Trump de vetar um projeto de lei que visa acabar com o apoio dos EUA à guerra do Iêmen, nada mais do que uma prova de que ele serve à Arábia Saudita.

    "Ao vetar a [proposta] Resolução dos Poderes de Guerra, Trump novamente prova que é servo da Arábia Saudita - a ditadura teocrática gastou bilhões espalhando a forma mais extrema e intolerante do Islã em todo o mundo, apoiando a Al-Qaeda e outros jihadistas e fazendo genocídio guerra no Iêmen com a ajuda dos EUA", disse Gabbard em um tweet emocional.

    A Resolução dos Poderes de Guerra, aprovada na Câmara dos Deputados em abril e no Senado em março, foi vetada por Trump, que afirmou ser uma "tentativa desnecessária e perigosa de enfraquecer minhas autoridades constitucionais, colocando em risco a vida dos cidadãos americanos e corajosos membros do serviço".

    No vídeo que acompanha o tweet, Gabbard é ouvida dizendo que os EUA são cúmplices "neste genocídio que está obrigando milhões de pessoas a passar fome e sofrer". Ela acusou Trump de estar "mais interessado em agradar os sauditas do que fazer o que é certo".

    Esta não é a primeira vez que Gabbard atacou Trump por conta das relações de Washington com a Arábia Saudita. No ano passado, ela twittou: "Ei @realdonaldtrump: ser a p**** da Arábia Saudita não é 'América Primeiro'".

    Desde que uma coalizão liderada pela Arábia Saudita iniciou a ofensiva militar contra o Iêmen em 2015, estima-se que 60.000 iemenitas tenham morrido devido ao conflito, e outros 85.000 já sucumbiram à fome e à desnutrição.

    Ataques aéreos realizados com frequência com munições fornecidas pelos EUA e seus aliados frequentemente atingem áreas com civis. Os sauditas dizem que estão agindo em apoio ao presidente exilado, Abd Rabbu Mansour Hadi, contra os houthis iemenitas que controlam a maior parte do país.

    Riad e seus aliados ocidentais acusam o grupo de oposição de um aliado próximo do Irã.

    Mais:

    Trump veta resolução do Congresso que determina a saída dos EUA da guerra do Iêmen
    Houthis aniquilam 2 tanques das forças governamentais no Iêmen (FOTOS, VÍDEO)
    Coalizão saudita atinge alvos houthis na capital do Iêmen
    Tags:
    houthis, democratas, diplomacia, violência, relações bilaterais, Guerra do Iêmen, terrorismo, islã, Al-Qaeda, Abd Rabbuh Mansour Hadi, Donald Trump, Tulsi Gabbard, Irã, Iêmen, Arábia Saudita, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar