19:46 16 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    026
    Nos siga no

    Os EUA mostraram mais uma vez que tudo é justo na guerra e nos negócios, pedindo a extradição de um ex-comerciante de armas chileno que vendeu bombas de fragmentação para o Iraque nos anos 80, apesar das alegações de que a CIA apoiou e aprovou os acordos.

    Antes de ser introduzida no "Eixo do Mal" do então presidente George H. Bush, a guerra do Iraque com o vizinho Irã tornou-a uma procuração útil para ajudar Washington a esmagar o nascente governo revolucionário em Teerã.

    Para realizar a tarefa, Bagdá precisava de bombas, e o rico empresário chileno Carlos Cardoen por acaso tinha suprimentos em estoque.

    Segundo o ex-funcionário da Segurança Nacional dos EUA, Howard Teicher, parte da razão pela qual Cardoen se encontrou no lugar certo na hora certa para selar o lucrativo acordo foi que a CIA havia intervindo para ajudar a fabricar e facilitar a venda de bombas de fragmentação ao governo iraquiano.

    No entanto, à medida que os tempos mudavam e as relações dos EUA com o Iraque iam para o sul, as armas vendidas a Saddam Hussein acabaram sendo transferidas para Washington durante a Guerra do Golfo, quando ajudaram a equipar o regime agora inimigo.

    Foi assim que Cardoen, de 76 anos, se viu na mira dos oficiais dos EUA desde 1993, apesar de suas alegações de inocência, e do possível papel que a própria CIA desempenhou ao ajudá-lo a fazer sua fortuna.

    O caso está nas mãos da Suprema Corte chilena, que deverá responder a respeito do pedido das autoridades norte-americanas. Por sua vez, Cardoen alega ser vítima de Washington, que quer apontá-lo como bode expiatório.

    Mais:

    Coalizão liderada pelos EUA usou bombas de fragmentação em Deir ez-Zor, diz mídia síria
    EUA continuarão a usar munições de fragmentação para enfrentar Coreia do Norte
    Por que Sérvia teme descartar bombas de fragmentação?
    Tags:
    Iraque, Irã, Chile, Estados Unidos, Saddam Hussein, Carlos Cardoen, Howard Teicher, CIA, bombas de fragmentação, armas, tráfico de armas, Guerra do Golfo, Eixo do Mal
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar