11:51 20 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    A usina nuclear Bushehr no Irã (foto de arquivo)

    Agência da ONU contradiz EUA e diz que Irã segue acordo nuclear descartado por Trump

    © Sputnik / Valery Melnikov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    7170

    O Irã permanece dentro dos limites-chave de suas atividades nucleares impostas por seu acordo de 2015 com grandes potências, apesar da crescente pressão das sanções recém-reimpostas dos EUA, informou nesta sexta-feira um relatório da agência nuclear da ONU.

    Segundo a Agência Reuters, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), que está policiando essas restrições nucleares, disse em um relatório trimestral confidencial que o Irã permaneceu dentro dos limites do nível ao qual pode enriquecer urânio, bem como seu estoque de urânio enriquecido.

    A AIEA também repetiu sua declaração usual de que realizava as chamadas inspeções de acesso complementares — que muitas vezes são de curto prazo — em todos os locais no Irã que precisava visitar.

    O presidente Donald Trump retirou os Estados Unidos do acordo nuclear com o Irã em maio passado, reimpondo as sanções dos EUA à economia do Irã e à indústria do petróleo que foram suspensas sob o acordo de 2015 nos meses que se seguiram.

    As potências europeias que assinaram o acordo — França, Grã-Bretanha e Alemanha — tentaram acalmar os ataques contra Irã diante dessas sanções. Eles estão criando um novo canal para o comércio não-dólar com Teerã, mas diplomatas dizem que ele não será capaz de lidar com as grandes transações que o Irã diz que precisa para manter o negócio funcionando.

    A criação desse canal, no entanto, irritou Washington por minar seus esforços para sufocar a economia do Irã em resposta ao programa de mísseis balísticos de Teerã e sua influência nas guerras na Síria e no Iêmen.

    Na semana passada, o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, convocou as potências europeias a seguir Washington na retirada do acordo, apesar de sua posição de longa data de que vale a pena manter o acordo enquanto o Irã mantiver o acordo.

    O acordo suspendeu as sanções contra Teerã em troca de restrições às atividades nucleares de Teerã, com o objetivo de aumentar o tempo de que o Irã precisaria para fabricar uma bomba atômica, se quisesse fazê-lo. A República Islâmica disse há muito tempo que quer energia nuclear apenas para fins de energia civil.

    O chanceler iraniano Mohammad Javad Zarif declarou nesta semana que os Estados Unidos têm uma "obsessão doentia" e "patológica" com o Irã, e acusou Pence de tentar intimidar seus aliados.

    Mais:

    Irã revela novo Fateh, submarino fabricado em solo nacional (VÍDEO)
    Merkel defende diplomacia para lidar com Irã; EUA resistem
    Irã e União Europeia chegam a acordo para driblar sanções dos EUA
    Tags:
    sanções, diplomacia, armas nucleares, energia nuclear, acordo nuclear, JCPOA, ONU, Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Mohammad Javad Zarif, Mike Pence, Donald Trump, Reino Unido, França, Alemanha, Europa, Estados Unidos, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar