10:36 23 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Sala de aula na Faixa de Gaza destruída por confronto com Israel. Foto de 2014.

    Egito organiza mediação entre grupos palestinos e pede calma com Israel

    © AFP 2019 / Mohammed Abed
    Oriente Médio e África
    URL curta
    722
    Nos siga no

    O Egito sediará conversações com líderes de duas grandes facções palestinas para tentar salvar esforços de unidade e restaurar a calma com Israel, disseram autoridades neste domingo (3).

    O chefe do grupo Hamas, que administra a Faixa de Gaza, liderou uma delegação para se reunir com autoridades de segurança egípcias no Cairo. O líder de uma facção menor, a Jihad Islâmica, também se dirigiu ao Cairo, disseram autoridades palestinas.

    O Hamas tem enfrentado uma forte rivalidade com o presidente palestino Mahmoud Abbas — que está baseado na Cisjordânia por mais de uma década.

    Inúmeros esforços de reconciliação falharam.

    O Egito também está tentando evitar uma escalada na violência entre o Hamas e Israel, depois de meses de tensão ao longo da fronteira entre Israel e Gaza. Cairo enviou autoridades a Gaza nas últimas semanas para ficar de olho na situação.

    "O Egito é movido por seu interesse em evitar uma nova guerra em Gaza e em melhorar as condições de vida dos moradores de Gaza", disse um funcionário palestino, que pediu para não ser identificado.

    As relações entre o Hamas e a Autoridade Palestina (AP) de Abbas pioraram no mês passado, quando Abbas ordenou que seus homens deixassem seus postos na fronteira de Rafah com o Egito, o principal corredor para os moradores de Gaza.

    Isso levou Cairo, que no ano passado coordenou as operações com a Autoridade Palestina, a fechar a passagem.

    As autoridades de Gaza agora dizem que o Egito retomou silenciosamente as operações na passagem de Rafah na semana passada, desta vez trabalhando com o Hamas. No entanto, não houve comentários imediatos sobre a reabertura de Rafah das autoridades egípcias.

    No domingo, o chefe do Hamas, Ismail Haniyeh, passou por Rafah, junto com dezenas de outros palestinos.

    Dois milhões de palestinos vivem na Faixa de Gaza, onde a pobreza é desenfreada e o desemprego está em 50%. Israel, junto com o Egito, mantém um bloqueio do enclave, citando preocupações de segurança.

    O Ministério da Saúde de Gaza disse que mais de 220 palestinos foram mortos no ano passado por tropas israelenses durante protestos na fronteira.

    Mais:

    Israel deixa o Brasil após 3 dias de cooperação no resgate de vítimas em Brumadinho
    Flórida proclama que Jerusalém é 'a capital eterna e indivisível de Israel'
    'Ver tudo isso é difícil', revela brasileira que integra forças de Israel em Brumadinho
    Avião cargueiro da Força Aérea de Israel derrapa na pista e deixa 2 feridos (FOTO)
    Israel vai manter auxílio em Brumadinho enquanto for útil ao resgate, diz embaixador
    Tags:
    Jihad Islâmica, Hamas, Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, Egito, Palestina, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar