09:22 21 Janeiro 2019
Ouvir Rádio
    Recrutas das Forças Armadas da República Centro-Africana no centro de formação em Bérengo

    Rússia poderia fortalecer sua presença militar na África Central?

    © AFP 2018/ FLORENT VERGNES
    Oriente Médio e África
    URL curta
    361

    A ministra centro-africana da Defesa, Marie-Noëlle Koyara, falou sobre as perspectivas da cooperação militar entre a Rússia e República Centro-Africana. Especialistas militares russos analisam a cooperação entre os dois países.

    Em entrevista à Sputnik, Marie-Noëlle Koyara falou sobre a atividade do centro de formação militar de Bérengo, permanecendo evasiva quanto às perspectivas de criação de uma base russa no país, afirmando que o acordo "deve evoluir".

    A ministra qualificou como "especulações" os rumores segundo os quais o centro de instrução de Bérengo tem funcionado como uma base militar russa, explicando que os instrutores russos que lá estão ajudam a treinar soldados centro-africanos.

    O diretor do Centro Analítico dos Problemas Sociais de Segurança Nacional e coronel aposentado, Aleksandr Zhilin, comentou esse assunto ao serviço russo da Rádio Sputnik.

    "A Rússia está interessada em promover a cooperação com os países da África. Podemos fornecer equipamento militar moderno a esses países e garantir, de fato, a inviolabilidade das suas fronteiras se forem atingidos acordos sobre fornecimento dos nossos sistemas de defesa antiaérea e assim por diante. É possível dizer que foi dado início ao fortalecimento da influência russa na região", comentou o analista, sublinhando que hoje a Rússia deve "acompanhar as tendências de política externa para não ficar fora".

    Aleksandr Zdanevich, especialista em África, opinou ao serviço russo da Rádio Sputnik que a Rússia tem aumentado ativamente sua cooperação com os países africanos nos últimos dois anos.

    "Quanto à cooperação militar, em geral se trata da cooperação com o Norte da África […] Mas os eventos do último ano, especialmente os ligados à intensificação das ações russas na República Centro-Africana, e o fato de que a nossa cooperação tem caráter oficial através dos ministérios da Defesa, ao nível mais alto os chefes de Estado acordaram a cooperação mutuamente vantajosa. Mais um passo lógico poderia ser a instalação de uma base no território da República Centro-Africana", explicou o analista.

    Para Zdanevich atualmente a questão principal da cooperação entre os dois países é a estabilização da situação na República Centro-Africana.

    Em agosto de 2018, a Rússia e a República Centro-Africana assinaram um acordo intergovernamental de cooperação militar, na sequência do qual foi estabelecido um centro de formação em Bérengo, onde os soldados são treinados por instrutores russos a manusear armas e a dominar técnicas de combate.

    A situação na República Centro-Africana se agravou no início de dezembro de 2013, quando em Bangui começaram os confrontos entre militantes do grupo islâmico Seleka e combatentes cristãos. Segundo a ONU, até o final de julho de 2018 quase um milhão de pessoas haviam sido forçadas a deixar suas casas e cerca de seis mil foram mortas.

    Em agosto do ano passado, em Cartum, capital do Sudão, foi realizada uma reunião entre os maiores grupos armados da República Centro-Africana, o Anti-Balaka e o Seleka, onde foi decidida a criação da União Centro-Africana, uma plataforma conjunta para consultas e ações para alcançar a paz no país. A declaração também apela às autoridades do país para começarem a trabalhar na reconciliação, com assistência da Rússia, da União Europeia e das organizações regionais e internacionais.

    Mais:

    Quem é o predador? EUA fazem pouco, mas criticam investimentos de China e Rússia na África
    Tags:
    cooperação militar, cooperação, República Centro-Africana, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik