10:16 18 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Um lojista palestino veste uma modelo em uma roupa de Natal na cidade de Gaza (arquivo)

    Grupo militante palestino proíbe moradores de Gaza de celebrar o Natal

    © AFP 2019 / MOHAMMED ABED
    Oriente Médio e África
    URL curta
    748

    O desenvolvimento ocorre em meio ao aumento das tensões entre israelenses e palestinos na fronteira de Gaza, que vêm aumentando desde o final de março quando a Grande Marcha de Retorno da Autoridade Palestina começou. A situação se agravou na semana passada depois que um atirador matou dois soldados israelenses na Cisjordânia ocupada.

    Uma facção armada dos Comitês de Resistência Popular, uma coalizão de grupos armados palestinos, publicou um panfleto com uma árvore de Natal em chamas e ameaças em árabe proibindo a celebração do feriado, de acordo com o The Jerusalem Post.

    O panfleto das Brigadas Al-Nasser Salah al-Deen apresenta especificamente um verso do Alcorão, alertando os muçulmanos a "não seguir o caminho dos judeus e dos cristãos" porque "na verdade, Deus não é para as pessoas más". O grupo militante também advertiu que é "absolutamente proibido" celebrar o feriado.

    O Jerusalem Post citou uma fonte do governo dizendo que o panfleto foi destinado a muçulmanos e cristãos árabes que vivem em Gaza. O jornal também se referiu aos esforços do governo para ajudar cerca de mil cristãos que vivem em Gaza a celebrar o Natal.

    O panfleto da Brigada al-Nasser Salah al-Deen segue uma onda de tensões entre israelenses e palestinos em Gaza, que aumentaram na semana passada quando um homem armado matou dois soldados israelenses na Cisjordânia ocupada, provocando ataques das forças israelenses.

    Tags:
    Alcorão, Natal, Brigadas Al-Nasser Salah al-Deen, Comitês de Resistência Popular da Palestina, Gaza
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar