05:55 11 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Soldados sírios na área libertada dos terroristas no deserto de As-Suwayda

    Analista avalia importância da ofensiva do exército sírio no sul do país

    © Sputnik / Basem Haddad
    Oriente Médio e África
    URL curta
    2121

    O exército da Síria eliminou mais de 270 combatentes do grupo terrorista Daesh no sul do país. O especialista militar Viktor Murakhovsky explicou ao serviço russo da Rádio Sputnik a importância dessa vitória.

    O exército sírio eliminou mais de 270 combatentes do grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia e em vários outros países) na província de As-Suwayda, no sul do país, informou o representante do comando das tropas russas deslocadas na Síria, Oleg Makarevich, acrescentando que a ofensiva decorreu em condições climáticas difíceis e em terreno muito acidentado.

    Segundo ele, a operação foi dificultada pelo fato de a deslocação de tanques e equipamento pesado ser limitada na área, enquanto os terroristas possuíam muitos lança-granadas, mísseis antitanque e lança-morteiros de 82 milímetros. Os militares sírios conseguiram capturar muitos armamentos, incluindo 12 mísseis antitanque TOW, de produção americana.

    O especialista militar Viktor Murakhovsky falou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik sobre o significado dos combates em As-Suwayda e a importância dessa vitória.

    "Os combatentes chegaram ao platô de As-Suwayda vindos não apenas da região de Al-Tanf, controlada pelos EUA, mas também da margem oriental do rio Eufrates, bem como das regiões próximas à fronteira com o Irã. Mas as tentativas dos extremistas de criarem um grande centro do Daesh em As-Suwayda fracassaram graças aos esforços da Força Aeroespacial russa e das tropas governamentais sírias", comentou.

    Segundo ele, o fato de que os EUA patrocinam os terroristas na Síria já não é segredo há muito tempo. Em As-Suwayda foi obtida mais uma prova desse patrocínio: junto dos combatentes foram encontrados mísseis antitanque TOW de produção estadunidense.

    Os norte-americanos teriam alegadamente fornecido esses mísseis à oposição moderada síria, mas vemos mais uma vez que esta "oposição moderada" afinal eram islamistas radicais, disse o analista.

    Em 17 de novembro, as tropas governamentais sírias libertaram as colinas de al-Safa na província de As-Suwayda, a 92 quilômetros de Damasco, assumindo o controle do último bastião do grupo terrorista Daesh no sul do país.

    Segundo a agência síria SANA, durante a ofensiva do mês passado foi eliminado o líder do grupo terrorista Daesh no sul da Síria, Hadir al-Shishani.

    Mais:

    Exército da Síria elimina mais de 270 terroristas do Daesh no sul do país
    Putin e Merkel dicutem ações para comitê constitucional da Síria
    Rússia: trégua é respeitada na Síria pela primeira vez em um ano
    Forças Democráticas da Síria anunciam captura de um líder do Daesh
    Turquia deve retirar tropas da Síria, declara enviado sírio na ONU
    Tags:
    patrocínio, mísseis antitanque, combate, terroristas, TOW, Daesh, Ilhas Virgens dos EUA, As-Suwayda, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik