16:18 18 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Recep Tayyip Erdoğan

    Objetos sumiram ou foram pintados no consulado saudita em Istambul, acusa Erdogan

    © AP Photo / Burhan Ozbilici
    Oriente Médio e África
    URL curta
    341

    O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou que alguns materiais no Consulado da Arábia Saudita em Istambul receberam uma pintura nova. A declaração vem depois que investigadores do desaparecimento do jornalista Jamal Khashoggi revistaram o prédio.

    Algumas substâncias que a polícia turca procurava no consulado saudita em Istambul parecem ter desaparecido, disse Erdogan a repórteres nesta terça-feira. Ele alegou que "a investigação está investigando muitas coisas, como materiais tóxicos e materiais sendo removidos com novas pinturas".

    Erdogan não deu detalhes sobre essa afirmação, apenas acrescentando que "minha esperança é que possamos chegar a conclusões que nos deem uma opinião razoável o mais rápido possível".

    Anteriormente, uma equipe forense turca passou 9 horas procurando pistas e amostras de DNA que pudessem lançar luz sobre o misterioso desaparecimento de Khashoggi, que Ancara acredita ter sido assassinado dentro da missão diplomática.

    Enquanto isso, uma fonte diplomática turca disse à Agência Reuters que os investigadores estão considerando ampliar a busca para a residência do cônsul saudita. Os canais de TV locais transmitiram o que disseram ser imagens de um veículo que saiu das instalações do consulado e estacionou na residência 2 horas depois de Khashoggi ter desaparecido.

    As especulações de que os sauditas poderiam ter destruído provas cruciais no local foram alimentadas por imagens mostrando duas mulheres e um homem trazendo material de limpeza pela porta da frente do consulado. Coincidência ou não, os "faxineiros" entraram no prédio no dia em que uma equipe conjunta de especialistas turcos e sauditas procuraria a missão.

    Ancara acusou Riad de assassinar Khashoggi e contrabandear seu corpo para fora do consulado em pedaços. A Arábia Saudita negou as acusações como "infundadas".

    Segundo a rede americana CNN, há um relatório saudita ainda a ser publicado que culpará a morte de Khashoggi por tentativa de sequestro e questionamento mal feito, "realizado sem autorização e transparência". O relatório não confirmado é baseado em 2 fontes anônimas que alegadamente falaram aos correspondentes da CNN.

    Isso acontece quando o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, visita Riad. Ele foi enviado com urgência pelo presidente Donald Trump para se reunir com o monarca saudita. Trump ameaçou o reino com "severa punição" se for encontrado envolvimento no desaparecimento de Khashoggi, mas depois mudou de tom e disse que o rei saudita "nega qualquer conhecimento do que possa ter acontecido" ao jornalista.

    "Parecia-me que talvez estes pudessem ter sido assassinos desonestos. Quem sabe?", declarou Trump na segunda-feira.

    Mais:

    Trump promete 'punição severa' se Arábia Saudita estiver por trás da morte de jornalista
    EUA vs Arábia Saudita: devemos esperar um 'cenário apocalíptico'?
    Arábia Saudita se prepara para admitir a morte de Khashoggi, diz emissora de TV
    Tags:
    diplomacia, dissidente, assassinato, jornalista, Mike Pompeo, Donald Trump, Recep Tayyip Erdogan, Jamal Khashoggi, Arábia Saudita, Istambul, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik