16:23 15 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    O ministro da Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov (à direita) ao lado do chanceler da Líbia, Mohamed Taha Siala, durante encontro realizado em Moscou em dezembro de 2017.

    Rússia pode ter papel crucial na reconstrução da Líbia, diz político

    © AP Photo / Pavel Golovkin
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4130

    A Rússia pode ter um papel decisivo na restauração da infraestrutura econômica da Líbia e também de segurança, afirmou nesta segunda-feira (24) o candidato à presidência do país Aref Ali Nayed. A eleição presidencial da Líbia está marcada para acontecer no dia 10 de dezembro.

    "Eu quero que a Rússia […] tenha um papel de importante na reconstrução da Líbia. Porque nosso Estado precisa de forças militares — exército, polícia e serviços de inteligência — e uma parceria estratégica com a Rússia, especialmente cooperação no campo da produção de petróleo e exportações, assim como na construção de infraestrutura", disse Nayed durante um encontro com Vladimir Zhirinovsky, o líder do Partido Democrático Liberal da Rússia.

    O candidato à presidência demonstrou esperança ao acrescentar que a Líbia necessita do suporte dos russos tanto em questões domésticas quanto nas questões internacionais.

    "A presença da Rússia, da China e Organização das Nações Unidas (ONU) está equilibrando a situação. Isso ajudará a Líbia e protegerá nosso país e as pessoas que são contra uma intervenção do Ocidente", afirmou Nayed.

    A Líbia procurou a ajuda de especialistas russos da indústria de petróleo e gás, construindo e restaurando a infraestrutura de transporte e de logística, ele especificou.

    Falando sobre a situação dentro do país e da viabilidade de realizar as eleições dentro do prazo estabelecido durante as conversas mediadas pela ONU sobre a Líbia em Paris, ainda em maio, Nayed disse que acredita que se as hostilidades em Tripoli pararem, será possível cumprir os acordos.

    "Se certas tentativas de acabar com os conflitos em Tripoli, tal como um cessar-fogo, forem tomadas, se nós unirmos esforços com o Parlamento e adotarmos a lei eleitoral na sessão de hoje ou amanhã, ainda não é tarde demais [para realizar a eleição presidencial em 10 de dezembro]", acrescentou Nayed.

    Ele enfatizou que a legitimidade na Líbia pode ser restaurada apenas pelo meio de uma eleição presidencial direta.

    "De qualquer forma, eu acredito que a eleição será a única solução possível [para a crise]. Porque, infelizmente. A única alternativa é a guerra", afirmou.

    Ele disse ainda que acredita que a crise existente se mostrou à população do país que prorrogar as eleições é um erro

    A Líbia está mergulhada em conflito interno desde a queda do líder Muammar Khadafi, em 2011. A parte oriental do país é governada pelo Parlamento, apoiado pelo Exército Nacional da Líbia, em Tobruk. O governo apoiado pela ONU do Acordo Nacional, liderado pelo primeiro-ministro Fayez Sarraj, opera na região Ocidental do país, com sede em Tripoli.

    Mais:

    Raríssimo obuseiro autopropulsado é destruído na Líbia (FOTOS)
    Naufrágio deixa mais de 100 mortos na costa da Líbia
    Radicais da Líbia mantêm 4 cidadãos da Coreia do Sul e das Filipinas como reféns
    Fim da guerra à vista? Líbia tem candidato a 'ser novo Kadhafi'
    Tags:
    crise na Líbia, relações diplomáticas, Partido Democrático Liberal da Rússia, ONU, Aref Ali Nayed, Fayez al-Sarraj, Muammar Kadhafi, Vladimir Zhirinovsky, Tripoli, Tobruk, China, Rússia, Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik