06:37 20 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Uma bandeira com o logotipo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) fotograda durante uma coletiva de imprensa na sede da OPEP em Viena, Áustria.

    OPEP pode aumentar produção de petróleo para conter aumento do produto após sanções ao Irã

    © REUTERS / Heinz-Peter Bader/File Photo
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 02

    Aliados e associados da OPEP concordaram em revisar a produção atual de petróleo como uma contramedida à falta de petróleo iraniano causada pelas sanções dos EUA.

    A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) informou que países-membros forneceram menos petróleo para os mercados mundiais no comparativo entre julho e agosto, o que levou a um aumento do preço do barril para US$ 80 o barril.

    “Há discussões sobre aumentar a produção em mais 500 mil barris por dia (bpd). Eles [produtores da OPEP e não-OPEP] podem aumentar a produção quando se reúnem em dezembro ”, disseram as fontes, referindo-se à próxima reunião da OPEP em 3 de dezembro. Se a organização desejar resolver a escassez antes disso, terá que convocar uma "reunião extraordinária".

    De acordo com as fontes ouvidas pela Reuters, o Comitê de Monitoramento Ministerial Misto (JMMC) formado por membros e não-membros da OPEP se reunirá na Argélia no fim de semana para discutir possíveis recomendações para aumentar ainda mais a produção de petróleo.

    Na quinta-feira, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, relacionou o apoio norte-americano aos países do Oriente Médio aos preços do petróleo e instou a organização a reduzir os preços. "Nós protegemos os países do Oriente Médio, eles não estariam seguros por muito tempo sem nós, e ainda assim eles continuam a pressionar por preços cada vez mais altos do petróleo! Nós vamos nos lembrar. O monopólio da OPEP deve baixar os preços agora!".

    O Irã, terceiro maior produtor da Opep, prometeu bloquear qualquer aumento de oferta, dizendo que o aumento de preço foi causado pela decisão de Trump em  aplicar sanções adicionais ao petróleo iraniano. O ministro iraniano do Petróleo, Bijan Namdar Zanganeh, disse que bloquearia pessoalmente qualquer decisão da Opep que prejudicasse os interesses do Irã, informou a Bloomberg.

    "Qualquer país que diga que pode compensar o déficit do mercado está do lado dos Estados Unidos", disse Zanganeh a repórteres em Teerã na quinta-feira, observando que não comparecerá à reunião da JMMC. "Qualquer decisão tomada pelo JMMC para aumentar a produção seria 'nula' e 'inválida'".

    Tags:
    Bloomberg, Comitê de Monitoramento Ministerial Misto (JMMC), Reuters, OPEP, Donald Trump, Bijan Namdar Zanganeh, Estados Unidos, Oriente Médio, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik