16:00 14 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    O presidente dos EUA, Donald Trump, conversa com o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, na chegada entrada da Ala Oeste da Casa Branca, em Washington, EUA, em 16 de maio de 2017.

    Turquia considera 'inaceitável' o 'uso de linguagem ameaçadora' pelos EUA

    © REUTERS / Joshua Roberts
    Oriente Médio e África
    URL curta
    2190

    O Conselho Nacional de Segurança turco declarou que tentativa dos Estados Unidos em vincular um acordo de defesa à libertação do pastor Andrew Brunson prejudicariam irremediavelmente os laços estratégicos com a Turquia. Ancara acusa Brunson de colaborar com o suposto idealizador do golpe fracassado em 2016, Fethullah Gülen.

    Nesse domingo o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan disse que os EUA perderiam um parceiro forte e sincero se isso não mudassem sua atitude em relação à Turquia, anunciando que o Pastor Brunson não fará parte de um acordo de troca de prisioneiros com os EUA.

    A declaração veio depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, disse que se Ancara não libertasse Brunson, a Turquia enfrentaria sanções.

    Autoridades turcas colocaram o pastor Andrew Brunson na cadeia em 2016 por causa das acusações de envolvimento com o movimento do clérigo islâmico Muhammed Fethullah Gülen, conhecido como Organização Terrorista Fethullah (FETO) por Ancara e acusado de ter orquestrado um golpe militar fracassado na Turquia no mesmo ano. O pastor foi recentemente libertado de uma cadeia turca e colocado sob prisão domiciliar.

    Tags:
    Organização Terrorista Fethullah (FETO), Andrew Brunson, Muhammed Fethullah Gülen, Recep Tayyip Erdogan, Estados Unidos, Ancara, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik