13:42 17 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Donald Trump na casa Branca, em janeiro de 2018.

    Trump adverte Irã sobre graves 'consequências' se continuar ameaçando EUA

    © AP Photo / Carolyn Kaster
    Oriente Médio e África
    URL curta
    16425

    O presidente norte-americano, Donald Trump, declarou no seu Twitter que o Irã vai "sofrer consequências" se continuar ameaçando os EUA.

    "Ao presidente iraniano Rouhani: Nunca mais ameacem os Estados Unidos ou vão sofrer consequências, como poucos sofreram algum dia na história. Não somos mais um país que suporte suas palavras loucas sobre violência e morte. Tenham cuidado!", escreveu o líder estadunidense em sua recente postagem na rede.

    Anteriormente, o presidente do Irã, Hassan Rouhani, avisou Donald Trump para que "não brinque com fogo", sublinhando que Teerã "não está em guerra com ninguém". Segundo Rouhani, "a força do Irã é dissuasora".

    "EUA devem saber que a paz com o Irã é a mãe de todas as pazes, e que a guerra com o Irã é a mãe de todas as guerras", disse o líder iraniano, avisando os EUA sobre uma política hostil em relação a Teerã, citado pela Reuters.

    A declaração de Rouhani surgiu após o Departamento de Estado americano ter afirmado que Washington iria convencer os aliados a pararem de comprar petróleo ao Irã até início de novembro. O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, por sua parte, disse antes que Washington está pronto a introduzir sanções contra a Rússia, China e qualquer outro país que continue comprando petróleo ao Irã contrariando a posição dos EUA.

    Segundo declarou o secretário de Estado, Mike Pompeo, as sanções americanas contra a área petrolífera dos Irã entrarão em vigor a 4 de novembro.

    Mais:

    Irã adverte EUA contra o bloqueio de petróleo e diz querer restaurar relações com sauditas
    Pressão externa ou fatores internos: o que levou aos problemas econômicos do Irã?
    Tags:
    ameaças, consequências, sanções, Mike Pompeo, Donald Trump, Hassan Rouhani, Irã, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik