21:20 17 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Forças líbias leais ao comandante do leste Khalifa Haftar ao oeste de Benghazi, Líbia

    Confrontos na Líbia causam 'perdas catastróficas' de petróleo no país

    © REUTERS / Esam Omran Al-Fetori
    Oriente Médio e África
    URL curta
    303

    A Companhia Nacional de Petróleo da Líbia (NOC) declarou "perdas catastróficas" durante confrontos no nordeste do país, informou AFP.

    Na quinta-feira passada, grupos armados atacaram os terminais de Ras Lanuf e de Al-Sidra, a cerca de 650 quilômetros ao leste de Trípoli, sob controle das forças leais ao marechal de campo Khalifa Haftar, um importante comandante da principal força armada do país e que domina parte oriental do seu território.

    No domingo, o auto-intitulado Exército Nacional Líbio de Haftar lançou uma ofensiva para expulsar as milícias — leais ao líder rebelde Ibrahim Jadhran — para fora da região produtora de petróleo.

    A CON informou ter perdido "tanques de armazenamento 2 e 12 no terminal portuário de Ras Lanuf após o ataque armado de quinta-feira, liderado por Ibrahim Jadhran".

    A capacidade de armazenamento do Ras Lanuf — com 950 mil barris de petróleo bruto antes do ataque — foi reduzida para 550 mil, informou a NOC.

    Uma foto publicada pela empresa mostrava grandes colunas de fumaça negra subindo de um reservatório destruído.

    As forças de Jadhran controlaram os terminais durante anos após a queda e a morte do líder líbio Muamar Kadhafi, em 2011. Em setembro de 2016, no entanto, o Exército Nacional Líbio conseguiu tomar conta da região.

    "Esse incidente resultará na perda de centenas de milhões de dólares em custos de construção e bilhões em oportunidades de vendas perdidas", informou NOC, acrescentando que levará anos para se reerguer em meio às atuais circunstâncias no país.

    NOC anunciou na quinta-feira ter suspendido as exportações de petróleo de Ras Lanuf e Al-Sidra por causa da violência.

    O chefe da NOC, Mustafa Sanallah, alertou que, se as exportações de petróleo desses terminais permanecerem impedidas, acontecerá um "desastre nacional".

    A economia da Líbia depende do petróleo e já produziu 1,6 milhão de barris por dia durante o governo de Kadhafi.

    Após a revolta de 2011, que culminou na morte do líder líbio, a produção caiu para cerca de 20% dos níveis anteriores, e só voltou para a escala de um milhão de barris diários no fim de 2017.

    Mais:

    Por que analogia com Líbia traçada pelos EUA provoca tanta indignação na Coreia do Norte?
    Coreia do Norte avisa os EUA antes de cúpula: 'Nosso país não é a Líbia ou o Iraque'
    Intervenção na Líbia: Sarkozy teria usado tropas francesas em interesses pessoais?
    Sete anos após morte do pai, filho de Kadhafi quer ser um presidente diferente na Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik