21:15 22 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Soldados estão em um tanque da coalizão liderada pela Arábia Saudita, na periferia da cidade portuária de Aden, no sul do Iêmen.

    Coalizão liderada pela Arábia Saudita teria entrado no principal aeroporto do Iêmen

    © AFP 2018 / Saleh Al-Obeidi
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1112

    Os militares iemenitas apoiados pela coalizão liderada pela Arábia Saudita lançaram em 13 de junho uma ofensiva para conquistar o aeroporto de Hodeidah aos houthis depois dos rebeldes xiitas terem fracassado em responder à proposta do governo de se retirar da cidade portuária para resolver o conflito pacificamente.

    De acordo com a agência de notícias Reuters citando a assessoria de imprensa da coalizão, as forças da aliança árabe tomaram o controle do aeroporto-chave de Hodeidah.

    A assessoria de imprensa disse no seu Twitter que, depois de a coalizão liderada pela Arábia Saudita ter entrado no aeroporto, as equipes de desminagem chegaram ao local.

    Na quarta-feira (13), as forças iemenitas apoiadas pela coalizão lançaram uma ofensiva para conquistar o aeroporto e a área ao redor aos rebeldes xiitas iemenitas depois de os houthis terem fracassado responder à proposta do governo de se retirar da cidade portuária para resolver o conflito pacificamente.

    Em meio aos confrontos, várias organizações internacionais e grupos de direitos humanos, apelaram às partes em conflito iemenitas para reduzir as hostilidades na cidade.

    A cidade de Hodeidah é uma das áreas mais densamente povoadas do Iêmen, e o seu porto é vital para o fornecimento de ajuda humanitária a este país do Oriente Médio devastado pelo conflito entre o governo e os rebeldes houthis.

    Mais:

    2 civis morrem em bombardeio na Arábia Saudita
    'Alô, é o Tio Sam?': Emirados Árabes pedem que EUA ajudem a tomar cidade no Iêmen
    Rebeldes Houthis abatem helicóptero militar no sudoeste da Arábia Saudita
    Tags:
    xiitas, rebeldes, guerra, Arábia Saudita, Iêmen
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik