07:32 23 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Um tanque do exército israelense dispara em direção à Faixa de Gaza (Arquivo)

    Tanque israelense dispara contra dois palestinos que tentavam cruzar fronteira em Gaza

    © AP Photo / Baz Ratner
    Oriente Médio e África
    URL curta
    6513

    Um porta-voz do Exército israelense declarou que as Forças de Defesa de Israel tiveram de atacar ao flagrar os dois palestinos violando a fronteira portando facas e materiais combustíveis.

    Um palestino foi morto por tanques israelenses no norte de Gaza, de acordo com o Ministério da Saúde no enclave do Hamas.

    O tanque israelense disparou contra um posto de observação militante na parte norte da Faixa de Gaza, em resposta a uma tentativa de romper a fronteira por dois palestinos, informou o serviço de imprensa do Exército.

    Um porta-voz das Forças de Defesa de Israel (IDF) disse que os palestinos tentaram romper a cerca da fronteira "com a intenção de realizar um ataque".

    O ataque israelense foi anunciado como uma resposta a um dispositivo explosivo colocado por militantes na fronteira de Gaza e a escolha do alvo foi explicada pelo fato de que a localização da mina estava no campo de visão do posto de observação.

    "Momentos atrás, tropas da IDF prenderam dois suspeitos que tentaram se infiltrar em Israel a partir do norte da Faixa de Gaza para realizar um ataque terrorista. Facas, material de combustão e um cortador foram encontrados em sua posse. Tiros foram disparados contra as tropas das IDF enquanto perseguiam os suspeitos. Em resposta, um tanque da IDF atingiu um posto de observação militar próximo. Nenhum ferimento aos soldados relatado. Os suspeitos foram transferidos para as forças de segurança para interrogatório", disse o órgão no Twitter.

    O incidente ocorreu depois que as IDF confirmaram que um drone carregado de explosivos havia sido lançado da Faixa de Gaza, administrada pelo Hamas, e posteriormente caiu no sul de Israel na semana passada.

    Pelo menos 121 palestinos foram mortos durante semanas de distúrbios desde 30 de março, quando os palestinos iniciaram sua Grande Marcha de Retorno, exigindo permissão para retornar a suas terras históricas dentro de Israel.

    Israel justificou suas ações citando razões de segurança, dizendo que estão defendendo suas fronteiras e culpando o Hamas por encorajar milhares de palestinos a romper a fronteira e atacar israelenses.

    Tags:
    Grande Marcha de Retorno, Ministério da Saúde de Israel, Forças de Defesa de Israel, Hamas, Palestina, Faixa de Gaza, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik