20:45 17 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Ministro das Relações Exteriores de Moçambique, José Condungua Pacheco, no Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo (SPIEF), em 25 de maio de 2018

    Para chanceler moçambicano, visita à Rússia foi oportunidade para dizer que país 'existe'

    © Sputnik / Ekaterina Nenakhova
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Ekaterina Nenakhova
    Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo 2018 (18)
    6190

    Nas margens do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo (SPIEF), a Sputnik Brasil acompanhou uma sessão empresarial Rússia-África e falou com o ministro das Relações Exteriores de Moçambique, José Condungua Pacheco, sobre a recém-retomada dos vínculos estreitos com Moscou.

    Em março deste ano, o chanceler russo, Sergei Lavrov, fez uma viagem a uma série de países africanos, inclusive a República de Moçambique. Na sequência de seu encontro com Pacheco, foram firmados vários acordos sobre o reforço da cooperação bilateral.

    Agora, o chanceler moçambicano viajou para a Rússia para não só se reencontrar com seu homólogo russo, mas também palestrar em uma das sessões do maior fórum econômico na Rússia, em São Petersburgo.

    "Foi uma oportunidade para dizer que Moçambique existe, estar junto com a Rússia neste retorno da Rússia para a África. Tivemos vários encontros. Tivemos um encontro com a Associação dos Produtores de Gás, depois deste fórum nós vamos ter um encontro bilateral Moçambique-Rússia e esperamos dar seguimento a todo o conjunto de ações e compromissos que estabelecemos para a cooperação econômica cada vez mais sólida e diversificada entre Moçambique e a Rússia", comentou Pacheco em uma conversa com a Sputnik Brasil.

    O ministro fez questão de relembrar a ajuda que a União Soviética prestou ao país na época da luta pela independência e realçou que este ambiente de amizade, paz e parceria se sente até hoje na relação bilateral entre as duas nações.

    "As relações, como disse, entre Moçambique e a Rússia são históricas. O grande desafio de hoje é desenvolvermos as relações cada vez mais fortes, especialmente na economia. Na economia, o investimento privado é o carro forte [a base] da cooperação bilateral. Nós pretendemos que investidores russos, empresários russos, se associem com empresários moçambicanos para o desenvolvimento de iniciativas e investimentos em várias áreas, com destaques a quatro áreas: agricultura, energia, infraestruturas e turismo", afirmou.

    Para dar ainda mais ímpeto a esses projetos, hoje está sendo planejada uma reunião bilateral entre os dois líderes, Vladimir Putin e Filipe Jacinto Nyusi. Entretanto, ainda não tem data definida, precisou o chanceler.

    "Temos em carteira uma visita de alto nível do nosso chefe de Estado à Rússia, estamos em processo de preparar e acertar as agendas", resumiu.

    Tema:
    Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo 2018 (18)

    Mais:

    Por que Brasil é obrigado a pagar calote de Moçambique e Venezuela?
    Rússia e Angola combinam criação do satélite AngoSat-2, diz fonte
    Rússia estabelece seu 'baluarte econômico' na África nas próximas décadas
    Tags:
    cooperação bilateral, Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo (SPIEF), Filipe Nyusi, José Pacheco, Rússia, Moçambique, África
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik