14:02 21 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Membros da Al-Qaeda posam para foto com os rostos cobertos

    Al-Qaeda é mais rica que o Daesh, mas EUA veem mais perigo no Irã, diz oficial russo

    © East News / Pacific Press
    Oriente Médio e África
    URL curta
    312

    As receitas que a rede terrorista Al-Qaeda recebe agora são mais de 12 vezes superiores às do Daesh, mas os EUA ainda consideram o Irã e o Hezbollah como ameaças maiores do que os terroristas, disse uma autoridade do Ministério de Relações Exteriores da Rússia.

    A renda do Daesh, que já dominou vastas partes do Iraque e da Síria, caiu para US$ 3 milhões por mês, afirmou Dmitry Feoktistov, vice-diretor do Departamento de Novos Desafios e Ameaças da Rússia à Sputnik.

    Feoktistov enfatizou que tal queda seguiu o corte dos canais de financiamento do grupo, principalmente graças aos esforços da Força Aérea Russa, bloqueando o comércio de hidrocarbonetos pelos terroristas.

    Enquanto isso, as receitas da Al-Qaeda atualmente excedem as do Daesh. O rendimento total da facção notória de suas células em todo o mundo "é estimado em US$ 20-40 milhões", segundo Feoktistov.

    No entanto, Washington parece ter se esquecido dos perigos que vêm da Al-Qaeda e do Daesh, afirmou o funcionário, acrescentando que os EUA "estão interessados apenas no [grupo xiita libanês] Hezbollah e no Irã".

    "Os americanos pararam recentemente de chamar o Daesh de a principal ameaça. Eles não negam que o Daesh é uma ameaça quando perguntados, mas tentam colocar essa questão em segundo plano", afirmou.

    O diplomata observou que os EUA ainda mantêm contatos com a Rússia nos esforços para cortar as linhas de financiamento dos grupos terroristas.

    "Combater o financiamento do terrorismo é surpreendentemente uma área em que o nosso diálogo nunca foi interrompido", garantiu Feoktistov.

    Tanto a Al-Qaeda quanto o Daesh estão envolvidos em uma rivalidade feroz há algum tempo, com o último tendo sido antes um afiliado à Al-Qaeda. Em fevereiro de 2014, a Al-Qaeda anunciou publicamente que havia cortado os laços com os extremistas do Daesh devido a um desacordo sobre as táticas.

    Em 2015, os líderes espirituais da Al-Qaeda reclamaram que a estrutura do grupo "entrou em colapso" devido à ascensão do Daesh no Oriente Médio. A organização sunita islamita, fundada por Osama bin Laden, ficou particularmente indignada com a forma como os extremistas do Daesh recrutam pessoas e as usam contra a Al-Qaeda.

    Em abril deste ano, o Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB) alertou que as duas facções podem se fundir em uma nova rede. Este novo grupo teria células em todo o mundo e seria capaz de produzir armas químicas, acrescentou o FSB.

    Mais:

    Rússia e Argentina discutem projeto de acordo para combater o terrorismo
    Macron propõe criação de coalizão internacional contra financiamento do terrorismo
    Opinião: nomeando Rússia 'patrocinadora do terrorismo', EUA querem deitar mão à Europa
    Tags:
    cooperação internacional, perigo, terrorismo, Serviço Federal de Segurança (FSB), Al-Qaeda, Daesh, Osama bin Laden, Dmitry Feoktistov, Irã, Estados Unidos, Rússia, Síria, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik