14:10 23 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Homs, Síria

    Mídia: militantes concordam em se retirar de sua última fortaleza na Síria

    © AP Photo / Hassan Ammar
    Oriente Médio e África
    URL curta
    5110

    Segundo um acordo fechado entre o governo sírio e líderes de grupos armados radicais, os militantes entregarão suas armas ao exército da Síria em 48 horas e transferirão o controle do território às forças governamentais, informou a mídia local.

    O governo sírio, com o apoio do Centro Russo de Reconciliação do Ministério da Defesa da Rússia, conseguiu negociar com os líderes de grupos armados radicais a retirada de suas forças do norte da província de Homs e do sul de Hama, informou a agência de notícias síria SANA.

    Segundo a mídia local, os militantes também prometeram fornecer mapas dos campos minados da área. 

    Anteriormente, foi informado que o comando militar sírio havia decidido transferir um contingente de elite do exército de Damasco para a província de Homs antes do início de uma grande ofensiva contra militantes. 

    Há um mês, um ministro da Síria disse à agência de notícias Reuters que o Exército sírio e as forças aliadas buscariam libertar áreas controladas por militantes na província de Homs, ao norte da capital da província.

    Enquanto isso, o Centro Russo de Reconciliação do Ministério da Defesa da Rússia relatou, nesta terça-feira (1°), que mais de 450 civis voltaram para as províncias sírias nas últimas 24 horas, observando que, apesar do regime de cessar-fogo na Síria, o centro de coordenação russo-turco-iraniano registrou vários casos de violações da trégua nas províncias de Idlib, Latakia e Daraa durante esse período.

    Mais:

    Síria: caças de Israel destroem depósito de armas com equipamentos do Irã
    Testemunho do garoto filmado durante 'ataque químico' na Síria abala toda a narrativa
    'Obrigado, presidente Putin': britânicos apoiam política russa na Síria
    Tags:
    retirada, militantes, Ministério da Defesa (Rússia), Centro para a Reconciliação na Síria russo, Hama, Homs, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik